Feeds:
Posts
Comentários

Archive for maio \31\UTC 2009

Ao término da quarta rodada do Campeonato Brasileiro, o Opina Fute volta a escalar a sua seleção com os melhores jogadores do final de semana. Mas nada de 4-4-2, 3-5-2, desta vez, a formação tática escolhida foi o 3-4-3, já que é sempre difícil escolher laterais que tenham se destacado no futebol brasileiro. Confira os escalados:

Ricardo Berna – Fluminense

Substituindo o titular Fernando Henrique, o goleiro não decepcionou a torcida do Fluminense, fazendo belíssimas defesas na partida deste domingo diante do Náutico. Só não foi uma muralha pois Gilmar balançou suas redes, em lance indefensável.

Danny Morais – Internacional

Mesmo jogando com uma equipe mista, o Colorado bateu o Avaí, e muito desta vitória se deve a atuação do jovem zagueiro da equipe, que comandou o setor defensivo com uma marcação exemplar, apenas uma falta cometida e diversos desarmes.

Fabão – Santos

Contestado por muitos, o zagueirão fez valer sua presença física neste domingo, não perdendo nenhuma dividida contra os atacantes do rival Corinthians.

Miranda – São Paulo

Tido como um jogador a nível de Seleção Brasileira, o zagueiro teve atuação muito melhor do que a da última quarta-feira, quando enfrentou o mesmo Cruzeiro. Desta vez, nenhum cruzeirense conseguiu furar o bloqueio tricolor.

Leandro Domingues – Vitória

O meiocampista rubro-negro comandou o setor da equipe baiana, e ainda por cima marcou um belíssimo gol, em chute de longa distância, o único na vitória do time sobre o forte Grêmio.

Paulo Henrique – Santos

O jovem atleta da Vila Belmiro mostrou mais uma vez muita classe e habilidade, e ainda balançou as redes corintianas duas vezes. O jogador anda enchendo os torcedores santistas de esperanças por um novo craque.

Marlos – São Paulo

Mesmo realizando sua primeira partida com a camisa do hexa-campeão brasileiro, o garoto vindo do Coritiba não se intimidou, partiu para cima dos cruzeirenses, esbanjou técnica e ainda fez a jogada do segundo gol da partida.

Mádson – Santos

Que o baixinho é rápido e habilidoso todo mundo sabe, o problema é pará-lo, e foi exatamente isso que a defesa do Corinthians não conseguiu fazer neste domingo. Mais uma vez o ex-vascaíno infernizou seus adversários. No final ainda marcou o gol que sacramentou a vitória do Santos.

Pedrão – Barueri

Sem nenhum marketing em sua volta, o atacante do Barueri não se incomoda e segue tratando de balançar as redes adversárias. Diante do Palmeiras, o camisa 9 marcou dois sobre Marcos. O primeiro foi esquisito, chutando ainda sentado.

Felipe – Goiás

Jogador que não tem o nome muito ventilado na mídia mas que já vem mostrando bom futebol desde os tempos de Náutico. Mesmo jogando no Couto Pereira, fez mais dois gols com a camisa do Goiás e já é o artilheiro do Brasileirão, com quatro.

Carlinhos Bala – Náutico

O rápido atacante atormentou a defesa do Fluminense no Estádio dos Aflitos. Principal jogador de sua equipe, só não anotou seu gol pois o goleiro Ricardo Berna estava em tarde inspirada e Maicon salvou cabeçada em cima da linha.

Técnico: Ney Franco – Botafogo

Apesar do empate em pleno Engenhão por 2 a 2 contra o Sport Recife, o comandante do Fogão soube utilizar seu banco de reservas, principalmente pelas entradas de Léo Silva e Tony, e buscar o empate, uma vez que os pernambucanos abriram dois gols de vantagem em apenas vinte minutos.

Craque da rodada

Paulo Henrique

ph-ganso

Anúncios

Read Full Post »

Diante de mais de 50 mil torcedores, que pagaram ingresso com 1 kg de alimento não parecível, o São Paulo fez 3 a 0 no Cruzeiro e mostrou que não está morto e que pode se classificar na Taça Libertadores, quarta feira, dia 17, quando enfrenta o… Cruzeiro, de novo.

A partida de hoje, apesar de contar com os mesmos times que estão se enfrentando pela Libertadores, não foi nem um pouco parecida com a da última quarta feira, quando o São Paulo foi massacrado no Mineirão.borges-sp-cruzeiro

O time são paulino tomou conta do jogo deste domingo e criou uma confiança que pode ser muito importante para o confronto decisivo na competição sul americana. Apesar de ter poupado Hernanes no início, o São Paulo começou bem a partida, tanto que abriu o placar logo aos 12 minutos, com Washington. Em uma jogada bisonha, os zagueiros do time celeste bateram cabeça e o centro avante Tricolor cabeceou fraco, mas Fábio não alcançou.

Quem estava no lugar de Hernanes era o estreante Marlos, ex-Coritiba. O meia fez uma partida excelente, fazendo belas jogadas. Aos 32 minutos, ele deu um belíssimo passe para Zé Luís cruzar e Borges, aquele mesmo que estava reclamando da reserva, bater firme e marcar o segundo do Tricolor.

O Cruzeiro parecia se poupar em campo e não forçava muito, mas chegou bem algumas vezes e, sempre que chegou, esbarrou em Dênis, o jovem goleiro são paulino, que fez ótimas defesas, evitando diversos gols do time adversário.

No segundo tempo, o jogo continuou pendendo para o lado do Tricolor. Dagoberto, que iniciou a partida no banco, recebeu uma bola em profundidade aos 32 minutos e bateu forte na entrada da área para marcar o terceiro do São Paulo. Pela primeira vez, Borges, Dagoberto e Washington, os três principais atacantes do São Paulo, marcaram em uma mesma partida, mostrando que tudo estava dando certo mesmo.

Agora, resta aos torcedores tricolores torcerem para que o espírito da equipe seja o mesmo no dia 17 e que o resultado seja o mesmo também. Porém, só 1 a 0 já basta.

O Tricolor chegou à sua primeira vitória no Brasileirão e está na 8ª colocação, já o Cruzeiro, que perdeu seu segundo jogo, tem um ponto a mais e é o 7º.

FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 3 X 0 CRUZEIRO

Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 31/05/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Evandro Rogério Roman – PR(FIFA)
Auxiliares: Márcia Bezerra Lopes Caetano/RO(FIFA) e Gilson Bento Coutinho/PR
Cartões Amarelos: Miranda E Zé Luís (SAO); Wellington Paulista, Henrique e Ramires (CRU).

GOLS: Washington, aos 11’/1oT (1-0); Borges, aos 32’/1oT (2-0) e Dagoberto, aos 33’/2oT (3-0).

SÃO PAULO: Dênis; Renato Silva, André Dias e Miranda; Zé Luís, Jean, Eduardo Costa, Marlos (Hernanes, aos 33’/2ºT) e Júnior César; Borges e Washington (Dagoberto, aos 26’/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho.

CRUZEIRO: Fábio; Jonathan, Léo Fortunato, Thiago Heleno e Gérson Magrão (Athirson, no intervalo) (Eli Carlos, aos 28’/2ºT) ; Fabrício, Henrique, Marquinhos Paraná e Ramires; Wellington Paulista (Zé Carlos, aos 20’/2ºT), e Kléber. Técnico: Adílson Batista

Read Full Post »

A partida deste domingo entre Barueri e Palmeiras com certeza ficará marcada na memória do atacante Obina. Não por ter sido titular pela equipe alviverde pela primeira vez. Nem pelo placar final do jogo. Mas sim, por ter sido a partida em que ele conseguiu colocar o incômodo jejum de gols no passado.

A primeira etapa da partida foi marcada por absolutamente nada. O jogo foi muito fraco e as equipes pareciam com medo de forçar alguma jogada. Apesar de jogar em casa, o Barueri não ameaçava o goleiro Marcos em nenhuma jogada e o goleiro Renê também foi mero espectador. Obviamente, o jogo foi para o intervalo em um 0 a 0 que parecia que iria permanecer.barueri-palmeiras

Porém, o segundo tempo foi o oposto disso. As duas equipes já começaram a segunda etapa forçando mais do que antes. Aos dez minutos, cada goleiro já havia salvo seu time uma vez e feito mais do que no primeiro tempo inteiro. Aos 11, porém, o goleiro Renê não conseguiu evitar o gol palmeirense. Diego Souza enfiou excelente bola para um atacante cheio de mísitca, supostamente melhor que Eto’o, que chutou firme na saída do goleiro e marcou. Sim, Obina desencantou! Um a zero para o Verdão.

Quase não deu tempo para o torcedor palmeirense comemorar a “expulsão” da zica de Obina e outro atacante deu um chute na má fase. Aos 15, Keirrison recebeu cruzamento pela direita e deu um leve toque que tirou as chances de defesa do goleiro Renê. Estava pintando uma goleada na Arena Barueri.

Mais uma vez sem chances para comemorar, o torcedor palmeirense viu mais um gol. Mas, dessa vez, de Pedrão, para o time da casa. O “artilheiro dos gols esquisitos” recebeu na pequena área e tentou o drible, mas caiu. Mesmo assim, sentado no chão, o artilheiro bateu no ângulo de Marcos para diminuir o placar.

Aos 24, Obina brilhou novamente, mas dessa vez não marcou. O atacante, visivelmente fora de forma, foi substituído pelo paraguaio Ortigoza e foi ovacionado pela torcida palmeirense. Cena rara nos últimos tempos para ambos.

Porém, quatro minutos depois, Pedrão roubou a cena mais uma vez. Após saída errada da defesa palmeirense, Thiago Humberto roubou a bola e partiu para cima da defesa verde e passou para Pedrão. O atacante aplicou um belo drible no zagueiro e bateu no contrapé de São Marcos, que dessa vez não pôde fazer milagre para evitar o gol de empate: 2 a 2.

O placar pareceu o suficiente para as duas equipes que voltaram a praticar um futebol mais recuado e cauteloso, sem se arriscar. E ficou nisso.

O Barueri continua sem vencer na Série A e é o 16º colocado com três pontos. Já o Verdão, está em 11º, com 5.

FICHA TÉCNICA:
BARUERI 2 X 2 PALMEIRAS

Estádio: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data/hora: 31/5/2009 – 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Paulo César de Oliveira (Fifa-SP)
Auxiliares: Marcio Luiz Augusto (SP) e Vicente Romano Neto (SP)
Renda/público:
Cartões amarelos: Wendell (PAL)
Cartões vermelhos: Wendell, 37’/2ºT
GOLS: Obina 11’/2ºT (0-1); Keirrison 15’/2ºT (0-2); Pedrão 17’/2ºT (1-2); Pedrão 28’/2ºT (2-2)

BARUERI: Rene; Daniel Marques (Xandão 28’/1ºT), Leandro Castan e André Luiz; Éder, Ralf (João Vítor 27’/2ºT), Everton, Thiago Humberto e Márcio Careca; Fernandinho (Camilo 27’/2ºT) e Pedrão. Técnico: Estevam Soares

PALMEIRAS: Marcos; Wendel, Danilo, Marcão e Pablo Armero (Jefferson 33’/2ºT); Mozart (Marquinhos 24’/2ºT), Pierre, Cleiton Xavier, Diego Souza; Keirrison e Obina (Ortigoza 24’/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Read Full Post »

Desde sexta feira, o técnico Mano Menezes já tinha anunciado que quem entraria em campo seria o time reserva do Corinthians, já que os titulares seriam poupados para a partida da próxima quarta feira, contra o Vasco.

ph-gansoPorém, isso pouco importou para o Santos, já que a partida é válida pelo Brasileirão e os três pontos em disputa valem o mesmo ao final da competição.

Desde o início do jogo, era visível a falta de entrosamento do time corintiano e a vontade de vingar as finais do Paulistão dos santistas. Tanto que, desde o primeiro minuto de jogo, quem dominava a partida era o time da Vila Belmiro. O Corinthians ficou acuado e só assustava nos contra ataques, principalmente com o meia Morais, que era o único com bom ritmo de jogo. Logo aos 16, depois de tentar algumas vezes, o Santos abriu o placar. Luizinho subiu bem pela direita e cruzou na medida para Paulo Henrique, o Ganso, bater de pé esquerdo abrir o placar para o Peixe, em bola que quase não ultrapassa a linha.

Com o 1 a 0, o Timão caiu mais ainda de produção e o Santos não teve dificuldades para ampliar. Depois de uma bola perdida pelo perdido Lulinha, Madson armou contra ataque para o time praiano. Kléber Pereira bateu forte e Júlio César espalmou. No rebote, de novo Ganso empurrou para as redes. A facilidade santista para jogar era visível.

No segundo tempo, essa facilidade diminuiu e muito. Depois de uma bronca de Mano Menezes no vestiário, o time do Pq. São Jorge acordou e voltou melhor. Tanto que, logo aos 5 minutos de jogo, o jovem zagueiro Renato diminuiu a vantagem do Santos. Depois de cobrança de escanteio, Morais bateu firme e Fábio Costa rebateu. Muito esperto, o camisa 13 do Corinthians conseguiu balançar a rede do Peixe: 2 a 1.

O Corinthians passou a ter mais presença ofensiva e teve algumas boas chances, principalmente em jogadas que envolviam os dois jogadores que mais atuaram na temporada, Souza e Morais. Os dois fizeram algumas boas tabelas e por pouco o empate não saiu. Quando o empate parecia mais próximo,o árbitro e Lulinha aprontaram. O meia fez uma falta dura em Léo e nem cartão levou. No lance seguinte, o lateral do Santos partia para o ataque quando foi derrubado por Lulinha. O árbitro levantou o cartão vermelho sem ao menos dar amarelo antes.

Com um a menos, as chances do Corinthians sumiram no jogo. O Peixe tentava, mas parava em Júlio César. Até que, já aos 44 minutos, Germano bateu cruzado e Madson, livre dentro da pequena área, marcou o terceiro.

O Santos foi a 8 pontos e está na 3ª colocação, enquanto o Corinthians, nas semifinais da Copa do Brasil, tem 4 e é o 14º.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 3 X 1 CORINTHIANS

Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 31/05/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro P. Vuaden (Fifa-RS)
Auxiliares: Nilsond de Souza Monção (SP) e Carlos Augusto Junior (SP)
Renda/público: R$ 245.040,00 / 10.666 pagantes
Cartões amarelos: Fabiano Eller (SAN); Renato, Jean, Boquita e Souza (COR)
Cartões vermelhos: Lulinha, 20’/ 2ºT (COR)
GOLS: Paulo Henrique, 16’/1ºT (1-0), Paulo Henrique 29’/1ºT (2-0); Renato 4’/2ºT (1-2); Madson 44’/2ºT (3-1)

SANTOS: Fábio Costa; Luizinho (Pará 21’/2ºT), Fabão, Fabiano Eller e Léo (Germano 43’/ 2ºT); Roberto Brum, Rodrigo Souto, Molina (Neymar 21’/2ºT), Paulo Henrique, Madson; Kléber Pereira. Técnico Vagner Mancini.

CORINTHIANS: Júlio César, Diogo, Renato, Jean e Wellington Saci (Bruno Bertucci 32’/2ºT); Jucilei (Marcinho INT), Moradei (Jadson 39’/2ºT), Boquita e Lulinha; Morais e Souza. Técnico: Mano Menezes

Read Full Post »

O Fluminense foi a Recife encarar o Náutico pela quarta rodada do Brasileirão-09 e saiu frustrado de campo. Tudo por quê o Tricolor das Laranjeiras vencia a partida até os 46 da etapa final, quando Gilmar, em cobrança de penalti, deixou tudo igual em Pernambuco. Na próxima rodada, o Flu fará o clássico Vovô contra o Bota, no Maracanã.

O Jogo

Substituindo o então titular Fernando Henrique, o goleiro Ricardo Berna foi o principal destaque da equipe de Carlos Alberto Parreira. Efetuando boas defesas, o camisa 1 ia garantindo o 0 x 0 mesmo com a pressão inicial dos donos da casa. Mas, o matador Fred, aos nove do primeiro tempo, abriu o placar nos Aflitos – dando mais tranquilidade para o guarda-redes do Flu – após belo passe do estreante Diogo.nautico-x-flu

Aproveitando-se dos contra-ataques, os cariocas passaram toda a primeira metade de jogo apenas preocupando-se em marcar. Porém, em uma tabela rápida entre Thiago Neves e Conca, o camisa 10 do Tricolor mandou uma bomba que carimbou a trave do goleiro Eduardo.

Disposto a empatar a partida, o Náutico veio com tudo para a etapa complementar. Carlinhos Bala, em um chutaço, obrigou Ricardo Berna a executar excelente defesa. Empurrado pela massa pernambucana, a equipe da casa sufocava e acabava com qualquer investida de ataque dos seus adversários.

Tanto esforço dos pernambucanos foi recompensado aos 49 minutos do segundo tempo quando Maicon foi derrubado dentro da área por Anderson Lessa. Penalti que Gilmar, com paradinha e tudo, definiu, deixando tudo igual em Recife.

Náutico 1 x 1 Fluminense

Local: Estádio dos Aflitos, Recife (PE)

Horário: 16h00min. (Brasília)

Náutico: Eduardo, Gladstone, Vágner Silva e Asprilla (Galliardo); Derley, Johnny, Júnior Carioca (Dinda), Carlinhos Bala e Anderson Santana; Kuki (Anderson Lessa) e Gilmar. Técnico: Waldemar Lemos.

Fluminense: Ricardo Berna, Diogo, Luiz Alberto, Edcarlos e João Paulo; Wellington Monteiro, Marquinho, Carlos Eduardo (Maicon) e Conca; Thiago Neves (Alan) e Fred. Técnico: Parreira.

Gols: Fred, aos nove minutos do primeiro tempo; Gilmar, aos 49 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos: Asprilla, Dinda, Vágner Silva e Derley (Náutico); Carlos Eduardo e Thiago Neves (Fluminense). Cartões vermelhos: Derley (Náutico); Luiz Alberto (Fluminense)

Read Full Post »

A torcida do Flamengo lotou o Maracanã na tarde deste domingo para recepcionar o seu mais “novo” ídolo: Adriano, o Imperador, vestiu a camisa 29 do seu clube de coração e não decepcionou. Ele marcou o segundo tento do Rubro-negro na vitória por 2 a 1 contra o Atlético/PR e saiu ovacionado do “maior do mundo”. Com o resultado, o time de Cuca  chega aos seis pontos e ocupa, agora, a sexta posição do Brasileirão-09.

O Jogo

Para um público pagante de mais de 70 mil pessoas, o Flamengo partiu para cima do Atlético desde o primeiro minuto de jogo. Logo aos 4 da etapa inicial, o Imperador mostrou que estava com fome de bola e, após cruzamento de Juan, escorou de barriga para fora.

Com as atenções voltadas para si, Adriano não fugiu da responsabilidade e, aos 15, com novo cruzamento de Juan, o atacante atrapalhou o zagueiro Antônio Carlos dentro da área que acabou marcando contra. O gol deu tranquilidade ao Flamengo que dominou todo o primeiro tempo.

Animado, o camisa 29 do Rubro-negro voltou para o segundo tempo cheio de vontade de deixar a sua marca. Logo no primeiro minuto da etapa final ele mostrou para que veio e completou, de cabeça, um belo cruzamento da direita de Léo Moura.adriano

Mostrando vontade e um futebol aguerrido, Adriano ajudava seus companheiros no setor defensivo e participava das principais jogadas de ataque dos cariocas. Por outro lado, o pouco acionado Rafael Moura tentava criar chances para o Atlético até que, aos 15 minutos, Márcio Azevedo foi derrubado por Toró dentro da área. O juiz Leonardo Gaciba marcou o penalti e o matador paranaense não perdou na cobrança.

O Fla não se intimidou com o gol sofrido e foi para cima do adversário. Após lance individual de Ibson, Adriano foi desarmado na pequena área, levando a loucura a massa flamenguista. Era o fim da partida e o início da “festa na favela” dos Rubro-negros.

Flamengo 2 x 1 Atlético/PR

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Horário: 16h00min

Flamengo: Bruno, Léo Moura, Aírton, Ronaldo Angelim e Juan; Willians, Toró (Welinton), Kleberson e Ibson; Emerson (Everton) e Adriano. Técnico: Cuca.

Atlético/PR: Vinícius, Antônio Carlos, Rodolfo e Chico; Raul (Manoel), Valência, Raphael Miranda (Wesley), Júlio dos Santos e Marcio Azevedo; Marcinho (Patrick) e Rafael Moura. Técnico: Geninho.

Gols: Antônio Carlos contra aos 15 minutos do primeiro tempo. Adriano a um minuto, e Rafael Moura aos 24 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Léo Moura (Flamengo); Rodolfo e Chico (Atlético-PR).

Read Full Post »

Jogando com um time misto, dentro de casa e com a cabeça nas semifinais da Copa do Brasil, o Coritiba foi arrasado pelo Goiás na partida entre as duas equipes, disputada neste sábado. Sem dar quaisquer chances ao adversário o Esmeraldino decidiu a partida ainda no primeiro tempo e levou ótimo resultado para Goiás, 3×1.

O embate entre os alviverdes começou com máxima vantagem para os forasteiros. Melhores em campo os jogadores do Goiás dominaram todas as ações nos primeiros minutos de jogo e chegaram rapidamente ao gol que abriu o placar. Logo aos dois minutos um pênalti foi assinalado para os visitantes e Felipe, após cobrar duas vezes a penalidade, abriu o placar, aos seis minutos. A vantagem ainda aumentaria, uma vez que a superioridade dentro de campo ainda era notável. Aos 30 minutos Iarley puxou belo contra-ataque e tocou na saída do arqueiro Vanderlei, que nada pôde fazer para evitar o segundo gol goiano. Para finalizar a partida ainda na primeira etapa, Felipe, mais uma vez, fez o terceiro tento do Esmeraldino, aos 30 minutos, após jogada ensaiada em cobrança de falta.iarley

O Coxa, por sua vez, pareceu não se dar por vencido mesmo com três gols de desvantagem no placar. Logo aos cinco minutos da etapa final o atacante Marcelinho Paraíba anotou aquele que seria o único gol dos paranaenses. A esperança só aumentou quando, aos 21 minutos, Rafael Toloi foi expulso e deixou os mandantes com mais jogadores em campo. A esperança, no entanto, de nada serviu e o Coritiba perdeu mais uma nesse Brasileirão, campeonato do qual é, mais do que nunca, lanterna.

Coritiba 1 x 3 Goiás

Coritiba: Vanderlei; Cleiton (Leandro Donizete), Felipe e Pereira; Márcio Gabriel, Jaílton, Pedro Ken (Ariel Nahuelpan), Carlinhos Paraíba e Vicente (Renatinho); Marcelinho e Bruno Batata. Técnico: René Simões

Goiás: Harlei; Ernando, Leandro Eusébio e Rafael Tolói; Fábio Bahia, Amaral (Everton), Ramalho, Felipe Menezes (João Paulo) e Júlio César; Felipe e Iarley (Zé Carlos); Técnico: Hélio dos Anjos

Gols: Marcelinho Paraíba, aos 5min do 2º tempo (Coritiba); Felipe, aos 6min e aos 38min, e Iarley, aos 30min do 1º tempo (Goiás)

Cartões amarelos: Carlinhos Paraíba, Márcio Gabriel, Ariel Nahuelpan, Leandro Donizete, Jaílton e Pereira (Coritiba); Amaral, Rafael Tolói, Felipe Menezes, Iarley, Fabio Bahia, Harlei e Ramalho (Goiás)

Cartões vermelhos: Rafael Tolói (Goiás)

Read Full Post »

Older Posts »