Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 9 de maio de 2009

Em seu primeiro jogo como membro da elite do futebol brasileiro o Barueri viajou até o Recife para enfrentar o Sport no caldeirão da Ilha do Retiro. Contando com o instinto e a sorte de seu artilheiro Pedrão os paulistas voltaram para casa com um empate na bagagem. 

O time da casa começou melhor e logo aos 13 minutos da primeira etapa abriu a contagem com o zagueiro Igor. O gol aconteceu após cruzamento do apoiador Paulo Baier em bola parada. Após cabeçada do atacante Vandinho a bola sobrou limpa para Igor, que apenas a empurrou para dentro da meta de Renê.

O empate aconteceu logo no início da etapa final. Completamente sem ângulo Pedrão dominou a bola aos três minutos e chutou no gol defendido por Magrão. A bola bateu na trave, quicou no gramado e caprichosamente entrou na meta pernambucana. O empate animou os visitantes, que se mantiveram melhor durante o restante da partida, sem no entanto criar alguma chance clara de gol. 

Os paulistas agora se preparam para receber o Fluminense, em Barueri, no próximo domingo. Já o Sport recebe o Palmeiras em Recife para o jogo de volta das oitavas de final da Libertadores na próxima terça-feira. Pelo Brasileirão o Leão voltará a jogar também no próximo domingo, quando vai à Bahia enfrentar o Vitória.

Sport 1 x 1 Barueri

Sport Magrão; Durval, César e Igor; Moacir, Hamilton, Daniel Paulista (Sandro Goiano), Paulo Baier (Fumagalli) e Dutra; Guto (Luciano Henrique) e Vandinho. Técnico: Nelsinho Baptista.

Barueri – Renê; Marcos Pimentel (Éder), Daniel Marques, Leandro Castan e Márcio Careca; Ralf, Leanderson (Marcio Hahn), Everton e Thiago Humberto; Fernandinho e Pedrão (Flavinho). Técnico: Estevam Soares.

Gols: Igor aos 13 minutos do primeiro tempo (Sport); Pedrão aos três minutos do segundo tempo (Barueri)

Cartões amarelos: César, Igor, Dutra, Guto e Vandinho (Sport); Leandro Castan, Leanderson e Márcio Hahn (Barueri)

Anúncios

Read Full Post »

No retorno do Avaí à Primeira Divisão do Brasileirão a alegria da noite ficou por conta dos torcedores do Atlético Mineiro, que viram sua equipe desfazer desvantagem de dois gols para chegar ao empate em 2×2 no estádio da Ressacada, neste sábado. Os mandantes abriram o placar aos 25 minutos do primeiro tempo em jogada concluída pelo atacante Evandro. O segundo gol catarinense aconteceu já na etapa final, aos 13 minutos, com o meio-campista Muriqui. Foi a partir desse momento que o Galo cresceu na partida e conseguiu arrancar um empate.

Éder Luis (esq.) tenta levar o Galo ao ataque (Petra Mafalda /Mafalda Press/Futura Press)

Com a desvantagem no placar o técnico Celso Roth começou a mexer no time para buscar reverter o resultado negativo. O primeiro efeito notado foi o novo folêgo dos mineiros, que com jogadores novos em campo conseguiu pressionar mais o adversário. E a pressão surtiu efeito. Aos 25 minutos do segundo tempo o lateral Júnior cruzou na medida para Alessandro, que entrara a pouco na partida, matar no peito e diminuir. O empate veio em jogada de Diego Tardelli aos 32 minutos da etapa final. O atacante fez boa jogada pela esquerda e chutou cruzado. Restou ao ala Carlos Alberto, outro que acabara de entrar em campo, concluir sem dificuldades. O Galo agora se prepara para enfrentar o Grêmio, em Minas Gerais, no próximo sábado. Já O Avaí viaja até o Rio de Janeiro para enfrentar o Flamengo, também no próximo sábado.

Avaí 2 x 2 Atlético Mineiro

Avaí Eduardo Martini; Ferdinando, André Turato, Emerson e Uendel; Marcos Vinícius, Leo Gago, Oldair (Ricardinho) e Muriqui; Evando (Luis Ricardo) e William (Lino). Técnico: Silas

Atlético – MG – Juninho; Werley (Thiago Feltri), Welton Felipe e Leandro Almeida; Elder Granja (Carlos Alberto), Renan, Marcio Araújo, Fabiano (Alessandro) e Júnior; Diego Tardelli e Éder Luís. Técnico: Celso Roth.

Gols: Evando, aos 25 minutos do primeiro tempo; Muriqui, aos 13 do segundo tempo (Avaí) Alessandro, aos 25 e Carlos Alberto, aos 32 do segundo tempo (Atlético)

Cartões Amarelos: Ricardinho (Avaí); Éder Luís, Carlos Alberto (Atlético)

Read Full Post »

keirrison_palmeiras_x_coritiba

Keirrison observa a bola entrando em seu gol.

O Campeonato Brasileiro teve seu início neste sábado e, no Estádio Palestra Itália, o Palmeiras contou com cerca de vinte mil torcedores para conquistar seus primeiros três pontos na competição nacional, batendo o Coritiba por 2 a 1, de virada.

De olho no jogo de volta contra o Sport pela Copa Libertadores, o Palmeiras entrou em campo com um time praticamente reserva, tendo apenas Maurício Ramos e Willians de jogadores titulares. Além do atacante ex-Vitória, o técnico Vanderlei Luxemburgo apostou em um ataque com Marquinhos e Ortigoza.

Mesmo com a equipe incomum, o Verdão mostrou um melhor futebol no primeiro tempo, criando diversas oportunidades de gols, desperdiçadas por Ortigoza e Willians principalmente. Porém, quem chegou às redes foi o Coxa. Aos trinta minutos, o árbitro Arílson Bispo daAnunciação marcou falta inexistente de Jefferson dentro da grande área. Na cobrança, o goleiro Bruno acertou o canto, mas não alcançou bola de Marcelinho Paraíba.

Em busca da virada no segundo tempo, Luxa colocou os titulares Diego Souza e Keirrison nas vagas de Mozart e do péssimo Marquinhos. Com a nova formação, o Palmeiras continuou superior na partida, e o K9 poderia ter marcado contra seu ex-time logo aos três minutos, mas parou em bela defesa de Vanderlei. Pouco depois, foi a vez de Cleiton Xavier substituir Jumar.

Com seus três principais homens de frente em campo, o Verdão chegou ao empate aos 24 minutos, quando Willians aproveitou bom cruzamento de Jefferson e mandou de cabeça para as redes adversárias.

O empate levantou a torcida alviverde, que viu sua equipe pressionar os visitantes. Mesmo com Willians jogando no sacrifício por ter sentido lesão, o Palmeiras conseguiu chegar ao gol da vitória já no final da partida. Aos 43 minutos, Diego Souza fez linda jogada, a bola caiu com Marcão, que rolou para Keirrison tocar na saída de Vanderlei. Na comemoração, K9 apenas bateu palmas para a torcida palestrina, em respeito ao seu ex-clube.

Palmeiras 2 X 1 Coritiba

Palmeiras – Bruno; Wendel, Maurício Ramos, Marcão e Jefferson; Jumar(Cleiton Xavier), Souza, Mozart(Diego Souza) e Marquinhos(Keirrison); Willians e Ortigoza. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Coritiba – Vanderlei; Pereira, Rodrigo Mancha e Felipe; Márcio Gabriel, Pedro Ken, Donizete, Carlinhos Paraíba e Marcelinho Paraíba(Ramon); Ariel(Marlos) e Marcos Aurélio(Dirceu). Técnico: René Simões.

Gols: Carlinhos Paraíba, aos 32 minutos do primeiro tempo (Coritiba); Willians, aos 24 e Keirrison aos 43 minutos do segundo tempo (Palmeiras)

Cartões amarelos: Wendel, Jefferson, Jumar, Cleiton Xavier e Willians (Palmeiras); Pereira, Márcio Gabriel, Pedro Ken e Marcelinho Paraíba (Coritiba)

Read Full Post »

Atuando em São Januário o Vasco fez neste sábado sua estreia pela série B do Campeonato Brasileiro recebendo o Brasiliense. Em uma partida marcada pelo equilibrio de forças entre as equipes o time cruzmaltino acabou conseguindo a vitória pelos pés do atacante Rodrigo Pimpão. O jogador anotou o primeiro gol vascaíno na segunda divisão aos 17 minutos do segundo tempo, após jogada do lateral-esquerdo Ramon. Pimpão recebeu belo passe do companheiro na pequena área e bateu no canto esquerdo, sem chances para o goleiro Guto.

Pimpão (esq.) foi o responsável pelo gol do triunfo vascaíno na estreia na série B (Fernando Soutello/Agif/Gazeta Press)

A partida ficou marcada em sua etapa inicial por um chute na trave dos visitantes logo aos oito minutos de jogo. Após jogada no meio de campo o lateral Julio César chutou cruzado e viu a bola explodir na trave direita de Fernando Prass. Este foi o único lance de destaque nos primeiros 45 minutos, marcados pelos erros de passe de ambas as equipes. Com o jogo truncado a torcida carioca ainda pediu pênalti em Rodrigo Pimpão aos 41. O juiz, no entanto, não marcou a penalidade, alegando que Pimpão havia se jogado na área adversária.

Na volta dos vestiários o Vasco tomou postura mais ofensiva e exerceu pressão sobre o adversário. Foi neste momento de pressão que os cariocas, aos 17 minutos da etapa final sacramentaram através de Pimpão o resultado final. O Gigante da Colina se prepara agora para enfrentar o Vitória pelas quartas-de-final da Copa do Brasil. O primeiro jogo está marcado para a próxima quarta-feira em São Januário. Pela série B o clube carioca volta a atuar apenas no próximo sábado, quando enfrenta, fora de casa, o Ceará.

Vasco 1 x 0 Brasiliense

Vasco – Fernando Prass; Paulo Sérgio, Vilson, Gian e Ramon; Amaral, Mateus (Nilton), Leo Lima e Carlos Alberto; Rodrigo Pimpão (Alan Kardec) e Elton (Bruno Gallo). Técnico: Dorival Júnior.

Brasiliense – Guto; Aílson, Cris, César Gaúcho (Ji Paraná) e Júlio César (Chefe); Pedro Ayub, Juninho, Éder (Ricardinho) e Iranildo; Edinho e Fábio Júnior. Técnico: Roberval Davino.

Gols: Rodrigo Pimpão, aos 17 minutos do segundo tempo (Vasco)

Cartões Amarelos: Paulo Sérgio e Carlos Alberto (Vasco);  Pedro Ayub e Juninho (Brasiliense)

Read Full Post »

Neste sábado a bola rola pela primeira vez no Campeonato Brasileiro com a presença de seis dos 20 times que disputam os certames. Serão três jogos hoje pela primeira rodada, que será completada no próximo domingo (10) com a realização dos sete embates restantes. Em São Paulo, no Palestra Itália, se enfrentam Palmeiras e Coritiba, jogo de maior destaque deste final de tarde. Em Recife o Sport recebe o caçula Barueri na Ilha do Retiro, mas está de olho no duelo com o Verdão pelas oitavas-de-final da Libertadores. Para fechar o dia o Avaí recebe em Florianópolis, no estádio da Ressacada, o Atlético Mineiro para marcar sua volta à elite do futebol nacional após nada menos do que 30 anos. Confira aqui no Opina Fute os principais destaques destes duelos.

Palmeiras x Coritiba

Local: Palestra Itália, São Paulo (SP)

Horário: 18h30

Trio de arbitragem: Arilson Bispo da Anunciação (BA); Alessandro Álvaro de Matos (Fifa – BA) e Adson Marcio Lopes Leal

Palmeiras – Bruno; Maurício Ramos, Danilo e Marcão; Wendel, Pierre, Cleiton Xavier, Diego Souza e Armero; Willians e Keirrison. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Coritiba Vanderlei; Pereira, Rodrigo Mancha e Felipe; Márcio Gabriel, Pedro Ken, Donizete, Carlinhos Paraíba e Marcelinho Paraíba; Ariel e Marcos Aurélio. Técnico: René Simões.

Destaques: A expectativa para o duelo está no reencontro do artilheiro Keirrison com seu ex-time. Após lua-de-mel com a torcida palmeirense no começo do ano o jovem atacante vem sendo alvo de diversas críticas pelos gols perdidos em partidas decisivas. O K9 busca a partir de hoje repetir o bom Brasileiro de 2008, quando foi artilheiro do certame ao lado de Washington e Kléber Pereira.

Sport x Barueri

Local: Ilha do Retiro, Recife (PE)

Horário: 18h10

Trio de arbitragem: Francisco de Assis Almeida Filho (CE); Arnaldo Rodrigues de Souza (CE) e Manuel Bezerra Torres (CE)

Sport Magrão; Igor, César e Durval; Moacir, Hamilton, Daniel Paulista, Paulo Baier e Dutra; Guto e Vandinho. Técnico: Nelsinho Baptista.

Barueri Renê; Daniel Marques, Pimentel e Leandro Castan; Márcio Careca, Ralf, Everton, Xuxa e Thiago Humberto; Pedrão e Fernandinho. Técnico: Estevam Soares.

Destaques: O grande destaque da partida fica por conta da estreia do Barueri na Primeira Divisão do Brasileirão. O time paulista, fundado em 1989, vem sendo destaque no cenário nacional pelos seguidos acessos e finalmente alcançou a elite do futebol brasileiro. Já o Sport atua hoje contando com a pressão de sua torcida para ofuscar a partida dos debutantes. O Leão jogará com a cabeça na terça-feira, quando enfrenta o Palmeiras, também em Recife, pela Libertadores.

Avaí x Atlético Mineiro

Local: Ressacada, Florianópolis (SC)

Horário: 18h30

Trio de arbitragem: Rodrigo Nunes Sá (RJ); Hilton Moutinho Rodrigues (Fifa – RJ) e Ricardo Ferreira de Almeida (RJ)

Avaí Eduardo Martini; Ferdinando, André Turato, Emerson e Uendel; Marcos Vinícius, Leo Gago, Odair e Muriqui; Ernando e Wilian. Técnico: Silas

Atlético Mineiro Juninho; Welton Felipe, Leandro Almeida e Werley; Elder Granja, Renan, Márcio Araújo, Fabiano e Júnior; Eder Luís e Diego Tardelli. Técnico: Celso Roth.

Destaques: Depois de 30 anos o Avaí volta a atuar em uma partida da série A do Campeonato Brasileiro. Santa Catarina está em festa e mesmo atuando contra um dos grandes do futebol brasileiro a expectativa é que a equipe do técnico Silas consiga uma vitória em casa. Já pelo lado do Galo o clima é de expectativa após o vexame na final do Campeonato Mineiro e a eliminação na Copa do Brasil.

Read Full Post »

Não é de hoje que o futebol brasileiro tem convivido com seus ditos grandes clubes nas divisões de acesso do Campeonato Brasileiro. No início da década de 1990 tivemos os casos de Grêmio e Fluminense – este último mais chocante, por levar o time carioca literalmente ao fundo do poço, com a ida à série C. Mas esses pareciam casos isolados. Com o começo do século XX, no entanto, grandes na série B passou a ser um panorama cada dia mais corriqueiro. Palmeiras, Botafogo, novamente o Grêmio, Atlético Mineiro e Corinthians foram os clubes que amargaram o calvário recentemente. A dor de não estar na elite. Chegou a vez do Vasco.

Depois de anos amargando uma administração – se é que assim pode ser chamada a gestão de Eurico Miranda no clube – no mínimo duvidosa, o Gigante da Colina se apequenou e acabou na Segunda Divisão. Lágrimas, desespero e até uma suposta tentativa de suicídio marcaram a ida do Vasco para o lugar no qual segundo acreditam muitos ele nunca deveria ir. Sem sombra de dúvidas foi uma época difícil em São Januário.

Mas como hoje o futebol no Brasil parece caminhar, mesmo que a passos lentíssimos, para um futuro melhor, as famosas “viradas de mesa” não ocorrem mais. Era hora então de os cariocas se prepararem para lutar com as próprias mãos para voltarem à elite do esporte bretão brasileiro. O Campeonato Carioca foi o primeiro teste. Baseado no sucesso da fórmula usada pelo Corinthians em 2008, ano no qual o Timão disputou a Série B, o Vasco contratou sem muito alarde, confiou em alguns jogadores de sua base, trouxe um técnico novo e com potencial e chamou sua torcida para lutar junto. A fórmula, no papel, é perfeita.

Logo de cara, no entanto, um baque já ameaçou a nau vascaína: o meia Jefferson, um dos destaques do time no início do ano, estava irregularmente inscrito no Carioca, fato que custou ao Vasco a perda de seis pontos e também da vaga nas semifinais da Taça Guanabara. O Gigante, porém, não desistiu. Com campanha invicta chegou às semifinais da Taça Rio. Mas novamente um golpe inesperado desestabilizou o clube de São Januário. A eliminação para o rival Botafogo na ocasião foi um baque e tanto para os jogadores comandados por Dorival Júnior. Um baque violento, diga-se de passagem.

A violência deste choque não consistiu apenas na eliminação anunciada. Quase levou embora todo um projeto. “Está vendo? Não vai dar certo”, já diziam alguns torcedores. O empate em casa com o fraco Icasa do Ceará pelo Copa do Brasil só fez aumentar a pressão sobre Carlos Alberto, Leo Lima, Rodrigão Pimpão, Tiago, Elton e cia. Mas agora não é hora de pressionar, vascaíno. É hora de apoiar.

O Vasco voltará? Tem tudo para isso, creio eu. Torcida e tradição pesam muito na disputa da disputadíssima série B. O elenco, se não é dos melhores, parece ser composto por jogadores dispostos a recuperar o orgulho perdido. E isso é o mais importante. Começa hoje uma guerra para o Vasco da Gama. Uma guerra que só estará concluída no final de 2010, quem sabe, com uma volta triunfal – ou pelo menos digna. Grêmio, Fluminense, Palmeiras e Corinthians conseguiram. E o Vascão pode conseguir também.

Read Full Post »