Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 10 de maio de 2009

Na partida que teve o maior número de gols da primeira rodada do Brasileirão-09, o Náutico visitou o Goiás e conseguiu um empate importante. O jogo começou com a equipe goiâna atacando mais e levando certo perigo. Porém, quem abriu o placar foi a equipe do Nordeste, logo aos 7 minutos. Asprilla marcou de cabeça para o Timbu.

Apesar de ter sofrido o gol, o Goiás continuou bem na partida e conseguiu a virada ainda no primeiro tempo. Com a torcida do seu lado, a equipe marcou aos 25, com Felipe e depois aos 39 com Júlio Cesar.

O time esmeraldino voltou ainda melhor no segundo tempo e rapidamente marcou o terceiro gol, com Felipe novamente. Um belíssimo gol por cobertura. Obrigado a sair para o ataque, o time alvirrubro conseguiu marcar ainda cedo, aos 18, com Carlinhos Bala, cobrando falta.

Quando o Goiás já tocava a bola para esfriar a partida, o Náutico conseguiu o empate. A quase 5 minutos do fim da partida, Gilmar fez boa jogada individual e bateu bem, empatando a partida. Placar final, um 3 a 3 justo e emocionante no Serra Dourada.

Goiás 3 x 3 Náutico

Goiás: Harlei; Gomes, Leandro Euzébio e Rafael Tolói; Fábio Bahia, Everton (Felipe Menezes), Ramalho, Júlio César e Zé Carlos (Amaral); Felipe e Iarley; Técnico: Hélio dos Anjos

Náutico: Eduardo; Sidny (Dimba), Gladstone, Vágner Silva e Asprilla (Wellington); Galiardo, Derley, Jhony e Carlinhos Bala; Gilmar e Anderson Lessa (Adriano Magrão); Técnico: Waldemar Lemos

Cartões amarelos: Gomes, Rafael Tolói, Felipe, Amaral (Goiás), Asprilla e Galiardo (Náutico)

Anúncios

Read Full Post »

Em uma partida muito emocionante, Grêmio e Santos empataram no Estádio Olímpico, na capital gaúcha. Apesar de o placar magro, os dois times tiveram boas atuações e poderiam ter marcado mais gols.

O primeiro tempo foi quentíssimo, apesar do 0 a 0 no placar. Como sempre faz, o Grêmio partiu para cima, apoiado por sua torcida que lotou o estádio. Muito melhor, o tricolor teve chances com Máxi López, Souza e Fábio Santos, mas a bola insitia em não entrar, chegando a bater no travessão do goleiro Douglas. Victor foi outro que teve partida insiparada, saindo muito bem do gol e fazendo belas defesas. E, mais uma vez, Kléber Pereira esteve mal, perdendo gols que não perderia se a fase fosse melhor.

No segundo tempo, o Peixe piorou com a saída do jovem Neymar para entrada do meio campista Molina. O Grêmio melhorou, mas seus atacantes não estavam em uma noite muito boa. Por isso, o técnico interino Marcelo Rospide tirou ambos e promoveu as entradas de Souza e Alex Mineiro. Com as substituições, o time gaúcho piorou e deu chances ao alvinegro praiano, que chegava com perigo.

Quando parecia morto, o Grêmio contou com a chagada surpresa do zagueiro Réver ao ataque para fazer 1 a 0 no placar, já aos 30 minutos da segunda etapa. O gol poderia ter sido fatal para a equipe paulista, mas não foi. Aos 40 minutos, Molina, o mesmo que havia entrado no lugar de Neymar, cobrou falta de longe com perfeição, sem chances de defesa para o excelente Victor. E ficou assim, Grêmio e Santos empataram em 1 a 1 em uma grande partida. Melhor para o Peixe, que conseguiu o empate no fim e ainda marcou um ponto fora de casa, o que pode ser muito importante com o decorrer da competição.

Grêmio 1 x 1 Santos

Grêmio: Victor, Leo, Rafael Marques e Réver; Ruy, Adilson, Tcheco (Douglas Costa), Souza e Fábio Santos; Jonas (Túlio) e Maxi López (Alex Mineiro). Técnico: Marcelo Rospide.

Santos: Douglas, Luizinho, Fabão, Fabiano Eller e Triguinho (Pará), Germano, Robertu Brum, Madson e Paulo Henrique (Maikon Leite; Neymar (Molina) e Kléber Pereira. Técnico: Vagner Mancini.

Gols: Réver (Grêmio) aos 30 minutos, e Molina (Santos) aos 40 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos: Réver, Rafael Marques, Alex Mineiro e Ruy (Grêmio); Luizinho, Fabão, Neymar (Santos)

Read Full Post »

O Botafogo visitou neste domingo o Santo André e por muito pouco não saiu de campo com uma derrota. O time paulista remou contra as críticas e, ao contrário do que pensavam muitos, dominou boa parte da partida disputada no ABC paulista. O placar de 1×1 acabou sendo justo pelo futebol jogado por ambas as equipes.

A primeira etapa foi dominada quase que por inteira pelos donos da casa. Pressionando, os jogadores do Santo André não conseguiam concluir com maestria as chances criadas, panorama que impedia a mudança no placar. O Bota, por sua vez, parecia sentir muito a ausência do lesionado meia Maicossuel. E aos 30 minutos do primeiro tempo, após boa jogada do atacante Nunes o placar foi aberto pelo próprio jogador.

O gol de empate dos cariocas tardou para sair, uma vez que mesmo com os donos da casa se fechando atrás para manter o resulto os visitantes não faziam muitas investidas ofensivas. A expulsão do ala Cicinho, no entanto, acordou o Botafogo. Com um jogador a mais os cariocas pressionaram e aos 39 minutos da etapa final chegaram ao empate. Após cruzamento de Eduardo o novo pantera Victor Simões escorou de cabeça e estufou as redes de Neneca.

O Ramalhão agora viaja até Curitiba, onde enfrentará o Coritiba no próximo sábado. Já o Botafogo se prepara para receber, no próximo domingo, o Corinthians.

Santo André 1 x 1 Botafogo

Santo André – Neneca; Cicinho, Cesinha, Marcel e Gustavo Nery; Fernando, Ricardo Conceição, Marcelinho Carioca (Dirceu) e Pablo Escobar (Elvis); Antônio Flávio, Nunes. Técnico: Estevam Soares

Botafogo – Renan; Leandro Guerreiro, Emerson (Jean Coral) e Juninho; Alessandro, Eduardo, Fahel, Túlio Souza e Thiaguinho (Gabriel); Victor Simões e Lucas Silva (Rodrigo Dantas). Técnico: Ney Franco.

Gols: Nunes, aos 30 minutos do primeiro tempo (Santo André); Victor Simões, aos 39 minutos do segundo tempo (Botafogo)

Cartões amarelos: Marcel (Santo André); Juninho (Botafogo)

Cartões vermelhos: Cicinho (Santo André)

Read Full Post »

dungaSe dizem que os campeonatos estaduais não são parâmetro para medir se um jogador é realmente bom de bola, o Campeonato Brasileiro começou neste final de semana para mostrar quem é craque. E dois jogadores já merecem destaque, Ramires e Nilmar.

Mesmo jogando contra um time praticamente reserva do Corinthians, o atacante do Internacional fez o gol mais bonito da rodada e já digo que deverá ser o mais bonito da competição, passando por seis atletas alvinegros, usando técnica e velocidade, antes de bater no fundo das redes de Felipe.

Nilmar, natural de Bandeirante no Paraná, está com 24 anos de idade e não é de hoje que mostra seu talento, que já o levou ao Lyon da França e até a passagem pela Seleção Brasileira. Não seria hora de realmente entrar nas convocações canarinhas?nilmar

Seguindo nessa linha, outro jogador que marcou um golaço e tem tudo para ser um dos melhores do Brasileirão é o volante Ramires, do Cruzeiro, na vitória da Raposa sobre o Flamengo, no Mineirão. Apenas aos 22 anos de idade, o atleta já teve seu nome na lista de Dunga, mas também sem continuidade.

ramiresPois é, Ramires e Nilmar mostraram do que são capazes contra os dois times de maior torcida do Brasil, e não apenas contra Ituiutaba, Uberaba, Uberlândia, Veranópolis, Sapucaiense e Avenida, como alguns disseram. Será que não já é tempo do Sr. Dunga começar a olhar com mais atenção ao futebol nacional? Ou realmente Gilberto Silva, Josué, Mineiro, Afonso Alves e Jô merecem maior prestígio?

Read Full Post »

Em uma partida que deve ter decepcionado os mais de 15 mil torcedores presentes ao Pacaembu, o Internacional venceu o Corinthians. A partida foi decepcionante pelo fato de o Corinthians ter entrado em campo com uma formação completamente nova, com 9 reservas. Apenas o goleiro Felipe e o volante Cristian se mantiveram de titulares. Os segundo, provavelmente, por não ter um reserva à altura, já que Marcelo Oliveira, o único volante reserva que não jogou, não tem ritmo de jogo ainda.

Nilmar (centro) comemora seu belo gol com seus companheiros (Marcelo Justo/Folha Imagem)

Sobre a partida, o Inter começou melhor e, logo aos 8 minutos, Nilmar driblou o time todo do Corinthians e bateu cruzado, sem chances para o goleiro Felipe que ainda se esforçou. Depois disto, o Inter se voltou para a defesa, como é de praxe com o técnico Tite. Com isso, o Corinthians passou a atacar mais e buscar o jogo. Apesar do time reserva, o time paulista criou algumas oportunidades de gol, principalmente pelo lado direito, onde atuavam Diogo, Lulinha e o estreante Jucilei.

No segundo tempo, o Corinthians não voltou muito bem e o Inter teve algumas oportunidades de gol em contra ataques. Em um deles, o promissor atacante Taison perdeu um gol feito, dentro da pequena área de Felipe. Nilmar roubou a bola de Diego e cruzou na medida para o jovem que chutou para fora. Com o tempo, o Corinthians voltou a atacar mais, buscando o empate. Mano sacou Jucilei e Diogo e colocou Dentinho e Alessandro, que deram mais movimentação à equipe e criaram algumas oportunidades. Porém, com algumas substituições, Tite conseguiu matar qualquer chance de reação do Corinthians. Ele sacou Taison e D’Alessandro para colocar os meia Giuliano e Andrezinho que, além de ajudar na marcação, cansaram a zaga do alvinegro nos contra ataques.

No fim, Mano Menezes ainda tentou colocar Otacílio Neto no lugar de Wellington Saci, mas nada mudou. Placar final, Internacional 1 a 0 em cima do Corinthians. Do lado do bom para o Timão, as atuações dos estreiantes Jucilei e Renato, que mostraram poder atuar no Corinthians. Para o Inter, é sempre bom começar vencendo na competição, ainda mais na casa de um adverário forte. O Corinthians se dá mal, pois derrotas como esta valem muito no fim da competição, por ser um campeonato em pontos corridos. Cada partida é uma decisão.
Corinthians 0 X 1 Internacional

Corinthians: Felipe, Renato, Diego e Jean; Diogo (Alessandro), Cristian, Jucilei (Dentinho), Boquita, Lulinha e Wellington Saci (Otacílio Neto); Souza. Técnico: Mano Menezes.

Internacional: Lauro, Bolívar, Índio, Álvaro e Kleber; Glaydson, Magrão, Guiñazu e D’Alessandro (Andrézinho); Taison (Giuliano) e Nilmar (Alecsandro). Técnico: Tite.

Gols: Nilmar, aos 8 minutos do primeiro tempo.

Cartões amarelos: Diego e Boquita (Corinthians); Guiñazu e Bolívar (Internacional)

Read Full Post »

Cruzeiro e Flamengo se enfrentaram neste domingo em Minas Gerais na partida que foi considerada por muitos como a melhor da rodada inaugural do Campeonato Brasileiro. E mesmo com um jogador a menos desde o início do primeiro tempo  – o ala Jancarlos foi expulso ao fazer pênalti aos 16 minutos do primeiro tempo – a Raposa fez valer o mando de campo e saiu do Mineirão com uma boa vitória: 2×0.

Kléber (dir.) e Ramires comemoram o primeiro gol da Raposa (Washington Alves/Vipcomm/Divulgação)

A partida começou com ambos os clubes partindo ao ataque. A primeira grande chance de gol surgiu justamente no pênalti cometido por Jancarlos. O ala impediu com as mãos que o Fla inaugurasse o placar. A estrela do goleiro Fabio, no entanto, brilhou mais do que a do ala Juan, que perdeu a penalidade e o rebote, ambos os lances impedidos por ótimas intervenções do arqueiro.

E foi em outra penalidade máxima que o Cruzeiro conseguiu abrir o marcador. Em lance discutível o meia Wagner foi derrubado na área aos 27 minutos da primeira etapa e viu o goleador Kléber anotar o primeiro tento celeste. Com um a menos, os mineiros se fecharam atrás e conseguiram levar a vantagem para o intervalo.

O segundo tempo foi disputado de forma muito diferente do primeiro. Com uma partida truncada no meio de campo e com número de faltas superior ao da primeira etapa, o que se via era um Cruzeiro fechado e um Flamengo desorganizado. O placar, no entanto, sofreu nova alteração, novamente com os mineiros. Aos 44 minutos da segunda etapa o volante Ramires fez bela jogada e concluiu para sacramentar o resultado final.

A Raposa se prepara agora para jogar pela Copa Libertadores. O próximo compromisso dos mineiros envolve a citada competição e acontece na próxima quinta-feira, quando o Universidad do Chile visita o Mineirão. Já o Rubro-Negro enfrenta, pelas quartas de final da Copa do Brasil, o forte time do Internacional, no Rio. Pelo Brasileiro ambas as equipes voltam a atuar no próximo final de semana. Enquanto o Cruzeiro visita o Náutico no domingo, o Fla recebe o Avaí no sábado.

Cruzeiro 2 x 0 Flamengo

Cruzeiro – Fábio; Jancarlos, Léo Fortunato, Leonardo Silva e Gerson Magrão; Henrique, Marquinhos Paraná, Ramires e Wagner (Athirson); Kléber (Elicarlos) e Thiago Ribeiro (Fabrício); Técnico: Adilson Batista

Flamengo – Bruno; Airton (Erick Flores), Welinton e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Willians (Everton Silva), Kléberson, Ibson e Juan; Everton e Emerson (Josiel) Técnico: Cuca

Gols: Kléber, aos 27 minutos do primeiro tempo e Ramires, aos 44 minutos do segundo tempo (Cruzeiro)

Cartões amarelos: Henrique, Wagner e Marquinhos Paraná (Cruzeiro); Ronaldo Angelim, Emerson e Willians (Flamengo)

Cartões vermelhos: Jancarlos (Cruzeiro)

Read Full Post »

Surpreendendo muitos torcedores o Vitória viajou até o Paraná e atropelou o Atlético Paranaense em plena Arena da Baixada, local no qual o Furacão costuma ser muito forte. Ambos os times atuaram completos e o grande destaque ficou por conta do sistema defensivo do Vitória, que impediu qualquer avanço perigoso dos donos da casa.

O placar foi aberto logo aos 14 minutos de jogo pelo zagueiro Wallace. Após boa cobrança de escanteio o jogador viu a defesa paranaense falhar e a bola sofrar livre para que ele apenas empurrasse para dentro da meta, fazendo 1×0 para os visitantes. A vantagem foi ampliada apenas aos 43 minutos do segundo tempo. Em contra-ataque o ala Leandro, que substituia o também ala Bida, marcou o gol que sacramentou os 2×0 finais na Arena da Baixada.

Os baianos agora enfrentam o Vasco pela Copa do Brasil na próxima quarta-feira em São Januário. Pelo Brasileiro o Vitória volta a campo no próximo domingo, quando receberá o Sport. Já o Furacão viaja até São Paulo onde, no próximo domingo, enfrenta o São Paulo.

Atlético Paranaense 0 x 2 Vitória

Atlético PR Galatto, Rhodolfo, Gustavo e Chico; Raul, Jairo (Júlio dos Santos), Renan (Wesley), Marcinho e Márcio Azevedo; Wallyson (Julio César) e Rafael Moura. Técnico: Geninho.

Vitória – Viáfara, Wallace, Marco Aurélio e Victor Ramos; Apodi (Leandro), Vanderson (Wellington), Bida, Carlos Alberto, Jackson e Robson; Neto Baiano (Adriano). Técnico: Paulo César Carpegiani.

Gols: Wallace, aos 14min do primeiro tempo e Leandro, aos 43min do segundo tempo (Vitória)

Cartões amarelos: Rhodolfo e Chico (Atlético);Neto Baiano e Bida (Vitória)

Read Full Post »

Older Posts »