Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 21 de maio de 2009

boca-defensorApenas o 16º colocado no Campeonato Argentino, o Boca Juniors apostava todas as suas fichas deste ano na conquista da Copa Libertadores da América, porém, não contava com uma pedra em seu caminho, o Defensor. Em pleno Estádio La Bombonera, os argentinos foram surpreendidos pelos uruguaios, que venceram por 1 a 0 e garantiram presença nas quartas-de-final do torneio mais importante da América Latina.

Depois de empatar por 2 a 2 em Montevideo, nossos hermanos precisavam de simples vitória sobre seu adversário, e isso não parecia problema para Palacio, Palermo e Riquelme, este último voltando de lesão. Mas aos 28 minutos a história tomou um rumo diferente, quando Diego de Souza calou o temido estádio com uma bomba, indefensável para Pato Abbondanzieri.

Vendo o seu sétimo troféu continental distante, o Boca partiu para o ataque, mas parou no goleiro Martin Silva, que fez sua primeira bela defesa no final da primeira etapa, em cabeçada de Palermo. Já na segunda etapa, o arqueiro voltou a aparecer com destaque, evitando gol de Riquelme.

Aos 42 minutos, o Defensor teve a chance de matar de vez seu adversário. Em rápido contra-ataque, Mora invadiu a grande área mas isolou. O castigo ficou perto de acontecer na sequência, após belo voleio de Gaitán, Martin Silva apareceu mais uma vez, espalmando para escanteio e garantindo o resultado.

Com a surpreendente derrota por 1 a 0 em plena Bombonera, o Boca Juniors dá adeus mais cedo na Copa Libertadores da América, sendo eliminado por 3 a 2 no placar agregado. Enquanto isso, o Defensor faz história e terá pela frente outro argentino, o Estudiantes de La Plata.

Com a eliminação precoce do papa-tudo sulamericano, Cruzeiro, Grêmio, São Paulo e Palmeiras agradecem aos uruguaios, principalmente o Verdão, que tem o clube portenho como carrasco de 2000 e 2001.

FICHA TÉCNICA
BOCA JUNIORS (ARG) 0 X 1 DEFENSOR SPORTING (URU)

Boca Juniors: Roberto Abbondanzieri; Facundo Roncaglia, Juan Forlín, Julio Cáceres e Morel Rodríguez (Nicolás Gaitán); Sebastián Battaglia (Leandro Gracián), Fabián Vargas, Cristian Chávez (Luciano Figueroa) e Juan Román Riquelme; Rodrigo Palacio e Martín Palermo
Técnico: Carlos Ischia

Defensor: Martín Silva; Pablo Pintos, Jorge Curbelo, Mario Risso e Cabrera; Julio Marchant, Pablo Ganglianone, Miguel Amado e Diego Ferrera (Rodrigo Mora); Diego de Souza (e Diego Vera (Álvaro Navarro)
Técnico: Jorge da Silva

Local: Estádio La Bombonera, em Buenos Aires ( Argentina)
Árbitro: Sálvio Spínola Fagundes (BRA)
Assistentes: Ednílson Corona (BRA) e Hilton Rodrigues (BRA)

Anúncios

Read Full Post »

Goleiros:

julio-cesarlio César – Após anos de desconfiança, o goleiro da Inter de Milão já é unânimidade como um dos melhores do mundo em sua posição.
Gomes – Titular do Tottenham, chegou a ser comentado como possível sombra de Petr Cech no Chelsea. Peca por sua irregularidade.
Victor – O jovem goleiro do Grêmio já merecia há muito tempo uma chance na amarelinha.

Laterais:

Maicon – Depois de muito tempo de incerteza, o lateral-direito consolidou-se na posição tanto na Seleção como na Inter de Milão, clube no qual chegou ao tricampeonato italiano.
Daniel Alves – Contratado por 30 milhões de euros pelo Barcelona, foi um dos principais jogadores do time que é tido como o melhor do maiconmundo no momento. Na Seleção ainda não convenceu.
Kléber – Convocado mais pela fase do Internacional do que por seu atual futebol, acredito que Marcelo do Real Madrid teria mais a acrescentar ao elenco.
André Santos – Vem atuando com grande destaque desde o ano anterior a sua contratação pelo Corinthians, quando defendia as cores do Figueirense. O grande problema é que no time de Dunga, se jogar, não terá a liberdade ofensiva que recebe de Mano Menezes.

Zagueiros:

Alex – Junto a John Terry no Chelsea, fez parte da defesa menos vazada do Campeonato Inglês.lucio
Juan – Zagueiro mais técnico da Seleção, é titular absoluto da Roma desde 2007.
Luisão – Espero que seja apenas a quarta opção de Dunga para o setor.
Lúcio – Acredito que o zagueirão duas vezes considerado melhor atleta da Alemanha seja unânimidade entre os torcedores brasileiros.

Meiocampistas:

Anderson – Um dos jogadores mais úteis taticamente no Manchester Sir Alex Ferguson, o jogador pode chegar ao bicampeonato europeu neste ano. Já na Seleção nunca mostrou o mesmo futebol, até mesmo por ser escalado fora de sua atual posição.
Gilberto Silva – Chega, este é um jogador que não pode mais ser convocado. Não vive boa fase nem no fraco futebol grego.
Josué – Apesar de contestado pela maioria, inclusive por mim, é o capitão do atual líder do Campeonato Alemão.
ramires2Ramires – Finalmente convocado por Dunga, espero que seja utilizado na equipe, e na posição correta, que mostrou belo futebol no Cruzeiro. Vale destacar que o jogador acertou sua transferência para o Benfica.
Elano – Não vive melhor momento no Manchester City, mas é um dos xodós de Dunga. Na Seleção costuma mostrar bom futebol e aparecer com destaque mesmo em partidas complicadas.
Felipe Melo – Jogador comum demais para a Seleção Brasileira, apesar do belo gol diante do Peru.
kakaKa – Principal jogador da equipe e considerado por muitos como o melhor do mundo, alia futebol, carisma e cabeça no lugar. Foi o artilheiro do Milan no Campeonato Italiano.

Atacantes:

Júlio Baptista – Depois de começar a carreira como um volante meia-boca no São Paulo, levou a melhor no ataque quando chegou a Europa. Sua nova posição lhe rendeu transferências para Sevilla, Real Madrid, Arsenal e Roma, clube no qual é titular atualmente. Mesmo sem ser preferência nacional, o jogador costuma representar bem a amarelinha quando é requisitado.
Luís Fabiano – Entra ano e sai ano, o ex-sãopaulino segue balançando as redes com grande facilidade. Dono de um belo posicionamento dentro da área e capacidade de finalização, deverá ser o dono da camisa 9.
Robinho – Mesmo com recentes turbulências na vida fora de campo, o atacante é, depois de Kaká, o queridinho da torcida tupiniquim. Na Seleção seu futebol costuma crescer, pois no Manchester City ainda não rendeu o que foi gasto pelo clube.nilmar2
Alexandre Pato– Maior esperança ofensiva para o futuro da Seleção Brasileira, ficou apenas um gol atrás de Kaká na artilharia do Milan na temporada 2008/2009.
Nilmar –  Ao lado de Ramires, já era peça pedida exaustivamente pela maior parte da imprensa do país. Talvez vivendo o melhor momento de sua carreira, o veloz atacante colorado ainda não deverá ser usado como titular por Dunga.

Read Full Post »

O técnico Dunga, da Seleção Brasileira, sempre foi muito criticado por suas convocações que, muitas vezes, tinham apenas jogadores que jogavam na Europa. Alguns destes jogadores realmente merecedores da Seleção, outros já nem tanto. Surgiram pérolas como Fernando, Afonso, Bobô…

Com o tempo, o técnico brasileiro foi melhorando suas convocações, sem mais inventar muito, mas sempre priorizando os europeus. Hoje, por volta das 15h, foram convocados os jogadores que participaram de duas partidas importantes das Eliminatórias para a Copa de 2010 e da Copa das Confederações. Nesta convocação, Dunga manteve a base, mas começou a fazer algumas mudanças interessantes, como a convocação de cinco jogadores que atuam no Brasil. Cinco pode parecer um número ridículo, mas para o que a Seleção vinha tendo, é um bom começo.

Os convocados daqui foram o excelente goleiro Victor, do Grêmio, os laterais Kléber, do Internacional, e André Santos, do Corinthians, o volante Ramires, do Cruzeiro e o atacante Nilmar, do Inter. Destes todos, o único que já vinha sendo convocado com frequência era o lateral Kléber. Já os outros, são jogadores que, desde o ano passado vem mostrando que tem qualidade e que podem fazer parte do elenco da Seleção Brasileira.

André Santos vinha merecendo a convocação desde o ano passado, assim como as outras novidades da Seleção

A mudança do treinador da Seleção já era previsível, de certa forma, pela maior presença dele em jogos no país e outros indícios em entrevistas de que desejava utilizar jogadores que atuam no Brasil para jogar pela Seleção.

Apesar de manter algumas manias e não abrir mão de alguns jogadores que já mostraram não estar no mesmo nível de outros jogadores de suas posições, como Gilberto Silva e Gomes, a convocação foi boa, por mostrar aos jogadores que atuam no Brasil que eles poderão ter oportunidade caso se destaquem sem ter que ir para a Europa.

Segue a lista dos convocados para as partidas contra Paraguai e Uruguai e Copa das Confederações:

Goleiros:

Julio César (Internazionale)

Gomes (Tottenham)

Victor (Grêmio)

Laterais:

Maicon (Internazionale)

Daniel Alves (Barcelona)

Kleber (Internacional)

André Santos (Corinthians)

Zagueiros:

Alex (Chelsea)

Juan (Roma)

Lúcio (Bayern de Munique)

Luisão (Benfica)

Meio-campistas:

Anderson (Manchester United)

Gilberto Silva (Panathinaikos)

Josué (Wolfsburg)

Ramires (Cruzeiro)

Elano (Manchester City)

Felipe Melo (Fiorentina)

Júlio Baptista (Roma)

Kaká (Milan)

Atacantes:

Alexandre Pato (Milan)

Luís Fabiano (Sevilla)

Nilmar (Internacional)

Robinho (Manchester City)

Read Full Post »

O lateral Alessandro, do Corinthians, duvidou da força da torcida do Fluminense. A mesma provou ser forte ao lotar o Maracanã nesta quarta-feira. A força, no entanto, não impulsionou os jogadores do Tricolor. A festa das arquibancadas de nada melhorou o desempenho do time em campo no duelo contra o Timão e a vaga nas semifinais da Copa do Brasil, agora, é dos paulistas. O empate em 2×2 garantiu o Corinthians, pelo segundo ano consecutivo, entre os quatro melhores times da competição. O alvinegro agora enfrentará outro carioca, o Vasco.

A partida começou com pressão por parte dos donos da casa. A necessidade de marcar o gol fez com que o Flu apertasse a marcação na saída de bola dos adversários e criasse boas chances. Afobado, no entanto, o clube carioca não concluia bem e deixava espaços para os contra ataques. E esses espaços fizeram a diferença. A pressão sucumbiu junto com o Flu, aos seis minutos da etapa inicial. Após boa jogada, o atacante Jorge Henrique sofreu falta na frente da área. Com perfeição, o zagueiro Chicão abriu o placar para o Timão.

Jorge Henrique comemora seu gol com Morais e Ronaldo.

E se antes do tento a pressão era por parte do Tricolor, a mesma mudou de lado após o placar ser aberto. Melhor organizado em campo, o Timão passou a tomar conta do jogo e não demorou para ampliar. Após bela jogada de Dentinho a bola foi cruzada para Jorge Henrique, que de coxa encobriu Fernando Henrique e sacramentou a ótima vantagem. Com o segundo gol dos visitantes parte da torcida tricolor começou a deixar o Maracanã.

Os que foram embora não puderam ver a máxima de que “para o Corinthians tudo é sofrido” ser comprovada. O time paulista voltou displicente ao segundo tempo e tomou pressão do Flu, que parecia finalmente ter acertado seu ritmo de jogo. Sinal disso aconteceu aos 18 minutos, quando Alan colocou para dentro a bola em rebote após chute de Conca. O gol animou o Fluminense.

O maior esboço de reação dos cariocas aconteceu aos 23 minutos. Após bela jogada o meia Thiago Neves finalizou sem chances para o goleiro Felipe e igualou o marcador. Mas o dia era do Corinthians. Apesar do apoio da torcida o Tricolor das Laranjeiras não conseguiu mais criar boas chances. O placar não mudou. E a vaga na semifinal é do Timão.

Fluminense 2 x 2 Corinthians

Fluminense: Fernando Henrique; Eduardo Ratinho (Dieguinho), Luiz Alberto, Edcarlos e Mariano; Wellington Monteiro, Marquinho (Tartá), Conca e Thiago Neves; Maicon (Alan) e Fred. Técnico: Carlos Alberto Parreira.

Corinthians: Felipe; Alessandro, Chicão, William e André Santos; Cristian, Elias e Douglas; Jorge Henrique (Morais), Ronaldo (Diego) e Dentinho (Boquita). Técnico: Mano Menezes.

Gols: Alan, aos 16 e Thiago Neves, aos 23 minutos do segundo tempo (Fluminense); Chicão, aos seis e Jorge Henrique, aos 16 minutos do primeiro tempo (Corinthians)

Cartões amarelos: Maicon, Fred, Wellington Monteiro, Alan e Thiago Neves (Fluminense); André Santos, Morais (Corinthians)

Trio de arbitragem: Carlos Eugênio Simon (RS/Fifa); Roberto Braatz (PR/Fifa) e Marcelo Barison (RS)

Read Full Post »

Depois de um empate sem gols em pleno Maracanã, o Internacional entrou em campo nesta quarta-feira apostando na força de seu estádio, e, diante do Flamengo, não deu outra, vitória por 2 a 1 e classificação para as semifinais da Copa do Brasil.

Em busca de uma simples vitória, o Colorado encontoru uma forte marcação carioca durante a maior parte da primeira etapa, porém, aos 42 minutos, o lateral Juan cometeu falha clamorosa e entregou a bola para Nilmar, justo ele. O atacante avançou com velocidade e cruzou para Taison, que apenas tocou para as redes de Bruno.inter-x-fla-copabr

Na segunda etapa, o Flamengo partiu ao ataque sabendo que um empate com gols garantiria sua classificação. E o gol saiu, aos 29 minutos. Klebérson fez boa jogada pela direita e cruzou para Émerson, que havia acabdo de entrar no lugar de Zé Roberto, completar às redes gaúchas.

Quando muitos já acreditavam na classificação rubro-negra, o Internacional conseguiu falta perto da grande área. A expectativa tomou conta do Beira-Rio aos 43 minutos. Na cobrança, Andrézinho, ex-Flamengo, partiu confiante e guardou a bola no fundo do gol de Bruno, que nada pôde fazer.

Com a emocionante vitória por 2 a 1, em casa, o Colorado garantiu seu lugar nas semifinais da Copa do Brasil, e agora terá pela frente o Coritiba, que eliminou a Ponte Preta na última terça-feira. Já o Flamengo dá adeus ao caminho mais curto para a Libertadores.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 2 X 1 FLAMENGO

Internacional: Lauro, Danilo Silva (Alecsandro), Índio, Álvaro e Kleber; Sandro, Rosinei (Glaydson), Guiñazu e D’Alessandro; Taison e Nilmar. Técnico: Tite

Flamengo: Bruno, Willians, Aírton e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Toró (Éverton Silva), Ibson, Kleberson e Juan; Zé Roberto (Emerson) (Welinton) e Obina. Técnico: Cuca

Gols: Taison, aos 42 minutos do primeiro tempo; Emerson, aos 29 minutos, Andrezinho, aos 43 do segundo tempo.
Cartões amarelos: Sandro, Rosinei, Guiñazu (Internacional); Aírton, Toró, Willians, Bruno (Flamengo).
Local: Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Paulo César Oliveira (Fifa SP)
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa SP) e Vicente Romano Neto (SP)

Read Full Post »

E deu a lógica no Barradão. Jogando um futebol tranquilo e paciente, o Vasco empatou com o Vitória por 1 a 1 e confirmou sua passagem à próxima fase da Copa do Brasil. Agora, a equipe carioca terá pela frente o Corinthians – que se classificou após um 2 a 2 contra o Fluminense, no Maraca.

O Jogo

Com um gol relâmpago logo no primeiro minuto da partida, o Vitória viu sua remota possibilidade de classificação se transformar em realidade. Neto Baiano, em cobrança de falta – e com uma grande ajuda do goleiro vascaíno Fernando Prass – abriu o caminho para uma virtual “chuva de gols” da equipe baiana no Barradão. Mas, tudo não passou de mero sonho.

Élton marca e Vasco carimba passagem às semis

Élton marca e Vasco carimba passagem às semis

Aos 4 minutos, Ramon – após bela jogada de Enrico – cruzou e Élton, de canhota, marcou. O Vitória não só voltava à estaca zero como, agora, precisaria de seis gols para chegar as semis.

No desespero, e totalmente desordenado, o time baiano foi todo ao ataque. E aí, com inteligência, o Vasco usou e abusou dos contra-ataques. Em um deles, o volante Nilton lançou a bola na área do Vitória e o zagueiro Gian cabeçeou para anotar o segundo dos cariocas. Mas, alegando impedimento, o árbitro André Luiz de Freitas Castro (GO) anulou o gol.

A nota desagradável para o torcedor vascaíno fica por conta de um lance infantil – aos 16 minutos de bola rolando – em que o meia Carlos Alberto levou seu terceiro cartão amarelo na competição. Assim, o capitão do Vasco é desfalque certo para o primeiro confronto das semifinais contra o Corinthians.

Aos 41 minutos de partida, o atacante Neto Baiano cuspiu no rosto do lateral vascaíno Ramon e foi expulso. Era o fim de uma primeira etapa apimentada na capital baiana.

Mostrando maturidade e trocando passes com personalidade, os comandados de Dorival Jr. voltaram para o segundo tempo apenas para administrar o resultado. Com o empate, o Vasco volta para o Rio de Janeiro com a vaga e a classificação para as semifinais da Copa do Brasil na bagagem.

Vitória 1 x 1 Vasco

Vitória: Viafara;  Wallace, Victor Ramos e Vanderson; Bosco, Uellinton, , Ramon (Carlos Alberto), Washington (Nadson) e André Luis; Adriano e Neto Baiano. Técnico: PC Carpegiani.

Vasco: Fernando Prass; Paulo Sérgio, Vilson, Gian e Ramon; Amaral, Nilton, Léo Lima e Carlos Alberto (Rodrigo Pimpão); Enrico (Bruno Gallo) e Elton. Técnico: Dorival Jr.

Gols: Neto Baiano, a um minuto, Elton aos quatro minutos do primeiro tempo

Cartões amarelos: Neto Baiano, Bosco e Viáfara (VIT); XX, Carlos Alberto, Enrico, Vilson e Elton(VAS). Cartão vermelho: Neto Baiano (VIT).

Estádio: Barradão, Salvador.

Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO). Auxiliares: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Cristian Passos Sorence (GO).

Read Full Post »