Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 24 de maio de 2009

Na estreia de Paulo Autuori como treinador do  Grêmio, nada de novo. Assim como nas últimas partidas, o Tricolor gaúcho impôs seu ritmo de jogo, dominou e venceu, dessa vez, o Botafogo por 2 a 0, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Com o placar, a equipe dos Pampas chegou a quatro pontos no torneio nacional e ocupa agora a oitava posição da tabela. Já o time da estrela solitária permanece sem vencer na competição e desce para o décimo sexto lugar, beirando a zona do rebaixamento.

O Jogo

Deixando a Libertdores de lado – e empolgado pela presença de Autuori – o Grêmio partiu para cima do Botafogo desde o primeiro minuto de jogo. Porém, a recompensa por tanta pressão imposta ao adversário viria somente aos 12 minutos da etapa final. Jonas, de bico, no cantinho direito de Castilho, abriria a contagem no Olímpico, após falha da zaga botafoguense.

Apesar de aguerrido e esforçado em campo, o time do técnico Ney Franco esbarrava na falta de qualidade de seus jogadores. Já o Grêmio, além de contar com a vantagem do gol marcado, minimizava qualquer investida dos cariocas com seu envolvente toque de bola. Assim, aos 33 minutos do segundo tempo, Fábio Santos, após belo passe de calcanhar de Maxi Lopez, entraria livre na área alvinegra para marcar o segundo dos gaúchos e selar a primeira vitória de sua equipe no Brasileirão-09.

Grêmio 2 x 0 Botafogo

Grêmio: Victor; Léo, Rafael Marques, e Rever; Ruy, Túlio, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi Lopez. Técnico: Paulo Autuori

Botafogo: Castilho; Juninho, L. Guerreiro e Eduardo; Alessandro, Fahel, Túlio Souza, Rodrigo Dantas e Gabriel; Tony Victor Simões; Técnico: Ney Franco.

Gols: Jonas, aos 12 e Fábio Santos, aos 33 minutos do segundo tempo (Grêmio)

Cartões amarelos: Rever (Grêmio); Gabriel, Eduardo, Tony (Botafogo)

Anúncios

Read Full Post »

O primeiro clássico paulista do Brasileirão foi disputado neste domingo no Estádio Palestra Itália entre Palmeiras e São Paulo, e, com ambas equipes com as cabeças voltadas para a disputa da Copa Libertadores da América, ficaram no 0 a 0, em atuação ridícula do árbitro e espetacular do goleiro alviverde.

palmeiras-spCom cerca de 12 mil presentes nas arquibancadas, o Verdão entrou em campo com apenas Keirrison no ataque, enquanto o Tricolor foi com Dagoberto e Washington. Com a bola rolando, quem começou melhor foram os visitantes. Aos oito minutos, a defesa local falhou e André Dias cabeceou sozinho para linda defesa de Marcos. Dois minutos mais tarde, novamente o camisa 12 apareceu, desta vez evitando gol de Dagoberto.

A melhor chance de gol do Palmeiras aconteceu apenas aos 31 minutos, quando Wendel cruzou para Keirrison, que pegou de voleio mas parou em bela defesa de Dênis, no rebote, Armero e Diego Souza não conseguiram concluir às redes.

Ainda antes do intervalo, São Marcos apareceu mais uma vez com grande destaque. Novamente a defesa palestrina vacilou e a bola ficou com Washington, que tentou voleio e só não comemorou pelas mãos do pentacampeão mundial.

Vendo seu time com poucas chances de gol, Luxemburgo promoveu dupla alteração para a segunda etapa, entrando Lenny e Souza nas vagas do zagueiro Danilo e de Mozart. Desta maneira, o Palmeiras começou a tomar conta da partida, e aos oito minutos teve o lance que poderia ter mudado os rumos da partida. Diego Souza invadiu a grande área e recebeu carrinho claro de Miranda, na frente do árbitro Rodrigo Braghetto, que nada marcou.

Cinco minutos mais tarde, Keirrison mostrou que ainda está em má fase. O atacante recebeu bola dentro da grande área, livre, mas pegou mal na bola e mandou ao lado da meta defendida por Dênis. O lance irritou o treinador alviverde, que sacou K9 pouco depois para a entrada de Ortigoza.

Aos 31 minutos, a situação do Palmeiras ficou mais complicada, quando Maurício Ramos matou contra-ataque tricolor e recebeu seu segundo cartão amarelo na partida.palmeiras-x-sp

Com um jogador a mais, o São Paulo cresceu na partida, mas mais uma vez Marcos estava lá para garantir o zero no marcador, parando Dagoberto. Já nos acréscimos, os torcedores do Palmeiras gelaram, quando Washington dominou dentro da grande área, cortou duas vezes seus marcadores e bateu rasteiro, mas o santo do Palestra Itália estava inspirado e defendeu com os pés.

No lance seguinte, Richarlysson deu carrinho por trás em Ortigoza e foi para o chuveiro mais cedo, mas já não havia tempo para mais nada.

Com o empate sem gols, o Palmeiras chegou ao seu quarto ponto no Campeonato Brasileiro, enquanto o São Paulo fez seu segundo. No meio da semana, os tricolores terão o Cruzeiro pela frente, enquanto o Verdão pega o Nacional do Uruguai, ambas partidas válidas pelas quartas da Libertadores.

FICHA TÉCNICA:
PALMEIRAS 0 x 0 SÃO PAULO

Palmeiras: Marcos; Maurício Ramos, Danilo (Lenny) e Marcão; Wendel, Jumar, Mozart (Souza), Cleiton Xavier e Armero; Diego Souza e Keirrison (Ortigoza)
Técnico: Wanderley Luxemburgo.

São Paulo: Denis; André Dias, Miranda e Richarlyson; Zé Luis, Eduardo Costa, Hernanes (Arouca), Hugo (Junior Cesar) e Jorge Wagner (André Lima); Dagoberto e Washington
Técnico: Muricy Ramalho.

Local: estádio do Palestra Itália, em São Paulo (SP)
Árbitro: Rodrigo Braghetto (SP)
Assistentes: Edmilson Corona e Emerson Augusto de Carvalho (ambos SP)
Cartões amarelos: Jumar (Palmeiras); Zé Luis (São Paulo)
Cartões vermelhos: Maurício Ramos (Palmeiras); Richarlyson (São Paulo)

Read Full Post »

Foi uma vitória incontestável. Com dois gols do sempre matador Kléber Pereira (um deles após jogadaça do garoto Neymar, que começou a partida no banco), um de Molina e outro de Mádson, o Peixe bateu o Fluminense por 4 a 1 na tarde deste domingo, no Maracanã, pela terceira rodada do Brasileirão. Com o resultado, a equipe do técnico Vágner Mancini conquistou a primeira vitória na competição nacional e agora vai motivada para o clássico de domingo que vem contra o poderoso Corinthians. Já o Fluminense terá uma semana cheia para tentar espantar o fantasma da crise que ronda as Laranjeiras.

Mesmo apresentando um futebol apático, foi o Fluminense quem abriu o placar da partida. Aos 9 minutos, após chute do argentino Dario Conca, Mariano aproveitou a bobeada da zaga santista para colocar o Tricolor carioca em vantagem no Maracanã. Era o começo da tragédia tricolor. Aos 37 da etapa inicial, Molina, em cobrança de falta, empatou o duelo e abriu caminho para a goleada do Peixe no Rio.

Desligado, o Fluminense voltou à campo para o segundo tempo ainda sentindo o golpe do gol sofrido. E o Santos, aproveitando a situação, ampliou o marcador aos 6 minutos, com o baixinho Mádson, que passou pelo goleiro Fernando Henrique e chutou para o gol vazio. Para piorar, aos 20 minutos da etapa final, Dieguinho leva o cartão vermelho, após falta cometida no mesmo Mádson. A partir daí, o jogo ficaria fácil para os comandados de Vágner Mancini.

Naturalmente – e com um homem a mais -, o Santos dominou a partida. Aos 39 minutos, o treinador alvinegro colocou Neymar no lugar de Molina, e o garoto, em um toque de classe, iniciou a jogada do terceiro gol santista, marcado por Kléber Pereira, que completou um cruzamento milimétrico de Mádson. Dois minutos depois, o próprio Neymar chutou, Fernando Henrique espalmou e Kléber Pereira deu números finais à partida.

Com a vitória, o Santos conquistou seu primeiro resultado positivo no Brasileiro e pulou para a quinta posição da classificação.

Fluminense 1 x 4 Santos

Local: Maracanã, Rio de Janeiro

Fluminense: Fernando Henrique; Mariano, Luiz Alberto, Edcarlos e Dieguinho; Wellington Monteiro, Marquinhos, Conca e Thiago Neves; Maicon e Fred; Técnico: Carlos Alberto Parreira

Santos: Fabio Costa; Luizinho, Fabão, Domingos, e Léo; Roberto Brum, Paulo Henrique, Rodrigo Souto, Mádson e Molina; Kléber Pereira; Técnico: Vágner Mancini

Cartões amarelos: Luiz Alberto (Fluminense); Léo, Molina  (Santos). Cartão vermelho: Dieguinho, Eduardo Ratinho (Fluminense).

Gols: Mariano, aos nove minutos do primeiro tempo (Fluminense); Molina, aos 37 minutos do primeiro tempo, Madson, aos seis e Kleber Pereira, aos 39 e aos 41 minutos do segundo tempo (Santos)

Read Full Post »

O Náutico voltou a ser a grande surpresa da rodada no Campeonato Brasileiro. Após bater o forte time do Cruzeiro na segunda rodada do certame o time pernambucano conseguiu uma impressionante vitória por 3 a 2 sobre o Atlético Paranaense, em plena Arena da Baixada. Os visitantes perdiam por 2 a 0 e conseguiram reverter o placar.

A partida começou com o Furacão empolgado com o apoio da torcida que compareceu ao jogo desta tarde. Melhor em campo, o time da casa soube tocar a bola com facilidade e criou boas chances na primeira etapa. O placar foi aberto pelo jovem atacante Wallyson. Em bela jogada após passe de Márcio Azevedo o jogador tirou o goleiro adversário com um lindo toque e marcou o primeiro dos donos da casa, aos 23 minutos da primeira etapa. Pouco mais de dez minutos depois, aos 35, Marcinho lançou Wallyson, que marcou novamente após driblar o goleiro Eduardo. A vantagem parecia garantir a vitória do Atlético.

Mas o segundo tempo apresentou panorama muito diferente do primeiro. mais ligado em campo, o Timbu pressionou e não tardou para diminuir o placar. Logo aos dois minutos o zagueiro Gladstone viu o goleiro Gallato mal posicionado e, com belo chute de fora da área, fez o primeiro gol pernambucano. O empate aconteceu logo em seguida. Após falha bizarra de Gallato o atacante Anderson Lessa teve apenas o trabalho de empurrar a bola para dentro e sacramentar a igualdade no placar, aos dez. E foi novamente Lessa quem anotou para oTimbu, dessa vez o gol da virada, aos 36. Após boa jogada de Gilmar o atacante recebeu livre e decidiu a partida, enfurecendo os torcedores presentes na Arena, que vaiaram muito o Atlético.

Após o vexatório tropeço o Furacão encara agora o Flamengo. A partida acontecerá no próximo domingo, no Maracanã. Embalado, o Náutico tenta manter a boa fase diante do Fluminense, também no domingo, no Aflitos.

Atlético PR 2 x 3 Náutico

Atlético PR: Galatto; Raul, Antônio Carlos, Rafael Santos e Márcio Azevedo (Patrick); Rafael Miranda, Chico, Marcinho (Gabriel) e Wesley (Gustavo); Wallyson e Rafael Moura; Técnico: Geninho

Náutico: Eduardo; Gladstone (Negretti), Vágner Silva e Asprilla; Eduardo Eré (Anderson Lessa), Johnny, Derley, Dinda (Juliano) e Wellington; Carlinhos Bala e Gilmar; Técnico: Waldemar Lemos

Gols: Wallyson, aos 23 e aos 35 minutos do primeiro tempo (Atlético); Gladstone, aos dois e Anderson Lessa aos dez e aos 36 minutos do segundo tempo (Náutico)

Cartões amarelos: Wesley (Atlético); Gladstone, Asprilla e Wellington (Náutico)

Read Full Post »

Ainda sem anotar 3 pontos de uma só vez no Brasileirão 2009, Grêmio e Botafogo se enfrentam em um duelo de nervos na tarde deste domingo, no  estádio Olímpico, às 16h00min, pela terceira rodada da competição nacional.

Contando com a estréia do experiente treinador Paulo Autuori, a equipe gaúcha levará à campo uma formação sutilmente modificada pelo novo comandante. Além de liberar mais os seus alas ao ataque, Autuori pretende dar mais liberdade aos seus meias, Tcheco e Souza, que, no novo esquema, têm a missão de acionar o matador argentino Maxi Lopez com mais qualidade e frequencia.

Já o Botafogo de Ney Franco irá para o jogo com, no mínimo, três alterações em relação ao time que enfrentou o Corinthians na última rodada do Brasileirão. Além do lateral direito Alessandro – que retornará à equipe – e do polivalente Eduardo – que mais uma vez será improvisado na zaga -, o recém contratado Tony ganhou a disputa pela vaga no ataque do Fogão (o titular Reynaldo ainda se recupera de lesão) e formará a dupla de frente com o “neopantera” Victor Simões.

Grêmio x Botafogo

Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre

Data: 24/05/2009 – às 16h00min.

Grêmio: Victor; Léo, Rafael Marques, e Rever; Ruy, Túlio, Tcheco, Souza e Fábio Santos; Jonas e Maxi Lopez. Técnico: Paulo Autuori

Botafogo: Castilho; Juninho, L. Guerreiro e Eduardo; Alessandro, Fahel, Túlio Souza, Rodrigo Dantas e Gabriel; Tony Victor Simões; Técnico: Ney Franco.

Trio de arbitragem: Evandro Rogério Roman; Aparecido Donizetti Santana e Ivan Carlos Bohn

Read Full Post »

O Flamengo encara neste domingo o Santo André, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, tentando juntar seus cacos após a eliminação ante o Internacional nas quartas de final da Copa do Brasil. Sem poder contar com sua dupla de alas titular, o Rubro-Negro foca agora apenas o Brasileirão e terá pela frente uma das sensações da primeira rodada. Ainda invicto na competição, o Santo André parte para cima do Fla apostando na experiência de Marcelinho Carioca e na velocidade de Pablo Escobar para conseguir, no Bruno José Daniel, mais uma vitória.

Santo André x Flamengo

Santo André: Neneca; Cicinho; Cesinha, Marcel e Gustavo Nery; Fernando, Ricardo Conceição, Marcelinho Carioca e Rodrigo Fabri; Pablo Escobar e Antônio Flávio. Técnico: Sérgio Guedes.

Flamengo: Bruno; Everton Silva, Ronaldo Angelim, Airton e Everton; Willians, Toró, Ibson e Kléberson; Obina e Josiel. Técnico: Cuca.

Trio de arbitragem: Arilson Bispo da Anunciação (BA); Raimundo Carneiro de Oliveira (BA) e Adson Marcio Lopes Leal (BA)

Read Full Post »

Invicto na atual edição do Campeonato Brasileiro, o Atlético Mineiro viaja neste domingo até Recife, onde enfrentará o Sport. O Galo brigará pela vitória com seu time completo e confia na força de seu artilheiro Diego Tardelli para sair com a vitória. O atacante marcou o gol da vitória dos mineiros na última rodada e é a esperança dos alvinegros. Já pelo lado dos donos da casa o objetivo é tirar de vez a eliminação da Libertadores da cabeça. Após a derrota ante o Palmeiras, nos pênaltis, nas oitavas de final da competição continental, o Leão não atuou bem e ainda não venceu no Brasileirão, somando um empate e uma derrota até o momento.

Sport x Atlético – MG

Sport: Magrão, Igor, César e Juliano; Moacir, Hamilton, Sandro Goiano, Luciano Henrique e Dutra; Wilson e Ciro. Técnico: Nelsinho Baptista.

Atlético – MG: Juninho, Carlos Alberto, Welton Felipe, Leandro Almeida e Thiago Feltri; Jonilson, Renan, Márcio Araújo e Júnior; Éder Luís e Diego Tardelli. Técnico: Celso Roth.

Trio de arbitragem: Pericles Bassols Pegador Cortez (RJ); Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Rodrigo Pereira Jóia (RJ)

Read Full Post »

Older Posts »