Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Felipe’

Tenho na parede do meu quarto três pôsteres do meu time do coração. São três títulos conquistados e que ficarão eternamente na minha memória – e não na parede, claro. São retratos de uma simbologia do futebol e que este ano está sendo maltratada pelos times que disputam o título do Brasileirão. Flamengo, Internacional, Palmeiras e São Paulo – na ordem de classificação e, talvez, favoritismo – enganam bem e escancaram a falta de nível técnico do Campeonato Brasileiro, que pouco a pouco vai se confundindo com emoção. O fato é que nenhum time quer ter seu pôster pronto.

O Flamengo venceu o Corinthians. Ok. O Alvinegro paulista jogava sem vontade e, sem lero-lero, sabemos que a vontade corintiana estava em baixa. Ninguém em São Paulo duvida que o time do Parque São Jorge preferisse perder a partida e conseguir ser o único paulista com um título no final da temporada. Sem nada – ou quase nada – a ver com a história toda, o Mengão saiu com os três pontos de Campinas. Assumiu a liderança e pegará o Grêmio na última rodada. Difícil? Não.

Não será tão difícil assim para o Rubro-Negro enfrentar o Grêmio. Pois maior do que a vontade corintiana de ver seus rivais na seca, é a gremista de ver o Internacional sem o Brasileiro no ano do centenário – que, pasmem, poderá terminar com apenas o Gaúcho conquistado. O Colorado ressurgiu das cinzas e figura na vice-liderança. Não fossem tropeços bobos ao longo do campeonato, seria campeão com antecedência. Hoje, se divide entre a rivalidade e a chance do título. O coração vermelho de Porto Alegre bate, acreditem, um pouquinho mais tricolor.

Quem também ressurge após vacilos inexplicáveis é o Palmeiras. A equipe de Muricy Ramalho, que para muitos e muitos já estava morta, poderia ter ficado com a ponta da tabela ao final desta rodada. Não ficou e, por isso, tem poucas chances de ser campeão. A vaga na Libertadores ainda não está assegurada, mas está bem próxima. Ao bater o Atlético Mineiro, o Verdão parece ter reconquistado a confiança. Pena que enfrentará um desesperado Botafogo, que para não retornar à Série B – seria o segundo rebaixamento em seis anos – precisa da vitória no próximo domingo. É, talvez, o confronto mais difícil dos postulantes ao título. A carta verde, acredito, está fora do baralho.

Quem também está fora é a carta tricolor. O São Paulo tropeçou mais uma vez em sua incompetência – e na competência do Goiás, é bem verdade – e deixou o posto de “o hepta virá neste domingo” para assumir o de “Libertadores será o máximo”. Pela primeira vez Jason morre. Morre porque os jogadores estão apáticos, tristes e, acima de tudo, indisciplinados. O Tricolor paga com derrotas a falta de cabeça de seus atletas, que somam cartões atrás de cartões. Ricardo Gomes fez um belo trabalho, mas ao que parece morrerá na praia. Nada de desesperador para um time que dominou o país nos últimos três anos.

Na ponta de baixo da tabela, destaco outro Tricolor, o das Laranjeiras. Podem dizer que queimei minha língua, e digo que a queimei com orgulho. Desde a volta de Fred estava cravado que o Fluminense não cairia. É elenco para estar no topo. Pena que não soube jogar em boa parte do campeonato. O rebaixamento é passado e torço muito pelo título da Sul-Americana.

Cutucadas

– Obrigado Felipe, goleiro do Corinthians, por protestar de forma tão legal contra a situação da arbitragem brasileira. Precisamos de providências urgentes!

Dorival Júnior saiu do Vasco. O cruzmaltino parece não ter aprendido com alguns rivais como sair bem da Série B

– A CBF colocou Diego Souza e Cleiton Xavier como meias-direita na votação da Seleção do Brasileiro. Não sabia que eles jogavam um em cima do outro no Palmeiras…

Read Full Post »

São Paulo

Faz 4 anos que o tricolor não vence o Santo André. De 2005 para cá foram quatro partidas, com dois empates e duas vitórias do time da grande São Paulo, e três desses jogos foram no Morumbi. Para mudar esse mau retrospecto, Ricardo Gomes deve escalar o time quase titular. Hernanes segue machucado e, além dele, o treinador, com medo de perder dois dos zagueiros titulares para o clássico contra o Corinthians, deve poupar Renato Silva ou Miranda. Provavelmente, o ex-botafoguense deve descansar.

Santo André

Rodrigo Fabri e Cris estão machucados. Pelo menos, Sérgio Soares terá a volta da dupla de zaga titular, Marcel e Cesinha, suspensa na última partida. O Ramalhão conta com Marcelinho Carioca, que já fez 12 gols contra o São Paulo, sendo 9 deles em Rogério Ceni.

Santos

O mercado de transferências esteve agitado na Vila Belmiro. Sérgio, ex-goleiro do Palmeiras, foi apresentado. O peixe também contratou Gil, atacante do Vila Nova, que chega por empréstimo até o final do ano que vem. Domingos, afastado por Luxemburgo, quase assinou com o Fortaleza, mas jogador e time não chegaram a um acordo. Outro que está fora dos planos do treinador, Roberto Brum, pelo menos conseguiu um clube. Assinou com o Figueirense, por empréstimo, até o final do ano. Para a partida contra o Botafogo, apenas George Lucas, suspenso, e Paulo Henrique, na seleção sub-20, são desfalques.

Goiás

O time esmeraldino jogou pela Copa Sul-Americana esta semana. Empatou com o Atlético-MG novamente por 1×1, e a classificação foi decidida nos pênaltis. Nas cobranças, 6×5 para o time de Hélio dos Anjos. Para tentar vencer o Corinthians, domingo, no Pacaembu, Amaral e Felipe, ambos suspensos pelo terceiro cartão amarelo, não jogam. Além disso, Rafael Tolói e Douglas continuam com a seleção sub-20.

Read Full Post »

cruzeiro e santosUm desavisado que vê um jogo terminado em 0x0 logo acha que foi uma partida ruim. O empate entre Cruzeiro e Santos, entretanto, foge dessa regra completamente. Os dois times buscaram o gol durante os 90 minutos e o placar não foi mexido apenas por causa da grande atuação dos dois goleiros.

O time visitante foi a Belo Horizonte com o intuito de marcar a raposa e, se possível, arrancar um gol no contra-ataque. O primeiro objetivo foi muito bem executado pela linha de zaga santista e por seus volantes. Todos fechavam a entrada da área e o time celeste, mau organizado por Gilberto, somente ciscava de um lado para o outro.

Quando retomava a bola, Paulo Henrique lançava, com muita qualidade, Madson e Kléber Pereira. O segundo, porém, cansou de perder gols e canelar a bola quando precisava dominar. Além da boa partida de Fábio, a má fase do artilheiro alvinegro também contribuiu para a falta de gols do time de Luxemburgo.

Com a frente da grande área congestionada, restava aos comandados de Adilson Batista o arremate de longe e as laterais. Tanto uma jogada, quanto a outra foram muito bem anuladas por Felipe, com grandes defesas e saídas providenciais de sua meta.

Por que terminou empatado?

Os dois goleiros foram verdadeiros paredões na partida de hoje. O Santos fechou a entrada da área e dificultou a armação de jogadas cruzeirenses, que saiam dos pés de Gilberto. O ex-lateral da seleção brasileira não teve boa atuação como camisa 10 da equipe. Além disso, Fabão soube anular o Kléber cruzeirense. Já o Kléber santista, anulou-se sozinho.

O que esse resultado muda no campeonato?

O Santos consegue um bom resultado fora de casa e, se vencer seu jogo atrasado, chega perto da zona de classificação à Libertadores. Já o Cruzeiro continua na zona da pasmaceira e segue sem conseguir vencer duas partidas consecutivas.

Cruzeiro 0 x 0 Santos

Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)

Público: 16.939 pagantes

Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Leonardo Silva, Thiago Heleno e Diego Renan (Gil); Fabinho (Dudu), Fabrício, Marquinhos Paraná e Gilberto (Soares); Kléber e Wellington Paulista. Técnico: Adilson Batista

Santos: Felipe; George Lucas (Triguinho), Fabão, Eli Sabiá e Pará; Rodrigo Mancha, Rodrigo Souto, Germano (Robson) e Paulo Henrique; Madson (Neymar) e Kléber Pereira. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Cartões amarelos: Leonardo Silva e Marquinhos Paraná (CRU); George Lucas, Pará, Rodrigo Mancha, Fabão e Triguinho (SAN)

Arbitragem: Marcelo de Lima Henrique (RJ), auxiliado por Wagner de Almeida Santos (RJ) e Jackson Lourenço Massarra dos Santos (BA)

Read Full Post »

Na sexta rodada do Brasileirão, os jogadores do Palmeiras dominaram a Seleção da Rodada que, mais uma vez, está montada no 4-3-3.

Felipe – Corinthians

O goleiro corintiano foi o grande responsável pelo empate por 0 a 0 no Serra Dourada. Fez, no mínimo, seis defesas consideradas difíceis e salvou o Coringão de uma derrota. Vem crescendo de produção a cada dia e é praticamente uma muralha.

Vitor – Goiás

O lateral esmeraldino mais uma vez mostrou o porquê de ser sempre procurado por grandes clubes brasileiros a cada temporada que passa. Ofensivamente ele é quase irrepreensível, chegando até a arriscar alguns chutes com a perna esquerda.

Rafael Santos – Atlético-PR

É o pilar da defesa do Atlético. Nessa rodada, além de ter ido bem defensivamente, ele marcou o gol da vitória do Furacão, já no segundo tempo, salvando o Atlético de mais uma partida sem vencer.

Maurício Ramos – Palmeiras

O zagueirão palmeirense tem crescido a cada partida que faz. Hoje, apesar de não ter marcado nenhum gol, foi muito bem no ataque, dando até lançamento para Keirrison. Fora isso, salvou o Verdão em algumas oportunidades.

Junior – Atlético-MG

O lateral, ex-Palmeiras e ex-São Paulo, tem atuado na armação da equipe alvinegra, mas fica na seleção como lateral, sua posição de origem. Mais uma vez, ele marcou e foi importante na vitória do Atlético, o novo líder, no Mineirão.

Cleiton Xavier – Palmeiras

Joga tanto como volante, quanto como meia. Hoje, se destacou mais um vez com seus passes excelentes, participando diretamente de dois gols palmeirenses, fora outras jogadas que criou e que foram desperdiçadas.

Batista – Botafogo

Fez uma excelente partida contra o Santos, neste sábado. O meiocampista marcou o primeiro gol do Fogão, fora as outras jogadas que criou ainda antes do tento marcado.

Marcelinho Carioca – Santo André

Quase conseguiu fazer com que o Ramalhão vencesse o São Paulo em pleno Morumbi. Fez uma partida para lembrar os bons tempos de Corinthians. Um golaço, quase um gol olímpico e belas jogadas.

Bruno Batata – Coritiba

O atacante do Coxa entrou no segundo tempo, quando o jogo já estava 2 a 0 para o seu clube, mas demonstrou que tem estrela e marcou dois gols em menos de 20 minutos, transformando a vitória em goleada.

Borges – São Paulo

Como sempre, jogou muito bem e foi decisivo. Com sua movimentação, salvou o Tricolor mais uma vez, marcando um gol no finalzinho do jogo, aos 39 minutos. Não teve muitas chances, quando teve, carimbou a trave na primeira e na segunda, marcou.

Keirrison – Palmeiras

Desencantou no Brasileirão. O atacante, que vinha sendo perseguido pela torcida, marcou dois gols (na verdade três, mas um o juiz deu para Marcão) e foi o jogador mais importante da vitória do Verdão no Palestra.

Técnico: René Simões – Coritiba

Seu time venceu por 5 a 0 o Flamengo que, apesar de estar em uma fase horrorosa, ainda é o Fla.

Craque da Rodada:

Felipe – Corinthians

Read Full Post »

O Corinthians viajou até Goiânia para enfrentar o Goiás, no Serra Dourada. O esperado era que o Timão entrasse em campo com um time quase inteiro titular, poupando apenas Jorge Henrique, William e Alessandro, que ficaram em São Paulo fazendo tratamento médico. Além disso, o titular na lateral esquerda seria Marcelo Oliveira, o único jogador do elenco que tem as características parecidas com André Santos, pondendo atacar e defender com qualidade, ao contrário de Wellington Saci, que só ataca e de Diego, que só defende. Porém o que se viu foi uma defesa sem Chicão, com Jean e também sem Marcelo Oliveira, com Diego.

O jogo começou com as duas equipes sem chegar muito a frente, ficando mais no meio de campo. O atacante Felipe, do Goiás, levava muito perigo quando pegava na bola, assim como Dentinho, do Corinthians, que foi parado com muitas faltas, pendurando, ainda no primeiro tempo, dois zagueiros da equipe goiana. A estrela maior da partida era para ser o centroavante Ronaldo Fenômeno ficou esquecida na maior parte do jogo, por ficar isolado e mal pegar na bola.

O Corinthians criou poucas chances de gol na partida inteira, ao contrário do que fez o Goiás, que chegou muito ao ataque e chutou muito a gol. Ainda no primeiro tempo, o time esmeraldino parou duas vezes na trave. A primeira foi após um escanteio, no qual o zagueiro Ernando cabeceou muito bem, mas a bola bateu no travessão, na trave e na linha, sem entrar no gol. Pouco depois, após uma confusão na área, Iarley virou e bateu tirando de Felipe, mas a bola carimbou a trave novamente.

Felipe observa o bom zagueiro Renato cortar para o Coringão

Após o intervalo, Mano sacou o inoperante Wellington Saci e colocou Boquita, o que ajudou o time a crescer, tendo mais posse de bola e um melhor passe. Isso não foi o suficiente, entretanto. O Goiás continuou levando mais perigo, obrigando Felipe a fazer algumas grandes defesas. Um dos melhores do Timão em campo, Dentinho, saiu depois de uma pancada na perna. Ronaldo também saiu, sem brilhar. O Goiás pressionou o Corinthians, mas não conseguiu o gol.

Os jogadores do Corinthians pareciam se poupar para a próxima quarta feira, quando o time enfrenta o Inter. Todos, menos o volante Cristian que, mais uma vez, fez um partidaço pelo Coringão, sem perder uma viagem e chegando bem ao ataque. O Coringão chegou a 8 pontos e à 8ª colocação, enquanto o Goiás, ainda sem vencer em casa, tem 7 e é o 13º.

Goiás 0 x 0 Corinthians

Estádio: Serra Dourada, Goiânia (GO)
Data/hora: 14/06/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Wagner Tardelli Azevedo (SC)
Auxiliares: Marco Antonio Martins (SC) e Alcides Zawaski Pazetto (SC)
Renda/público: R$ 407.895 / 16.337 pagantes
Cartões amarelos: Rafael Tolói, Ernando, Felipe e Leandro Euzébio (GOI); Douglas, Cristian, Jean, Boquita e Dentinho (COR)

GOIÁS: Harlei; Rafael Tolói, Leandro Euzébio e Ernando; Vitor, Fábio Bahia (Everton, 8’/2ºT), Amaral, Felipe Menezes (Rafinha, INT), e Julio Cesar; Iarley e Felipe.Técnico: Hélio dos Anjos

CORINTHIANS: Felipe; Jean, Renato e Diego; Diogo, Cristian, Elias, Douglas e Wellington Saci (Boquita, INT); Dentinho (Marcelo Oliveira, 16’/2ºT) e Ronaldo (Otacílio Neto, 27’/2ºT). Técnico: Mano Menezes

Read Full Post »

Jogando com um time misto, dentro de casa e com a cabeça nas semifinais da Copa do Brasil, o Coritiba foi arrasado pelo Goiás na partida entre as duas equipes, disputada neste sábado. Sem dar quaisquer chances ao adversário o Esmeraldino decidiu a partida ainda no primeiro tempo e levou ótimo resultado para Goiás, 3×1.

O embate entre os alviverdes começou com máxima vantagem para os forasteiros. Melhores em campo os jogadores do Goiás dominaram todas as ações nos primeiros minutos de jogo e chegaram rapidamente ao gol que abriu o placar. Logo aos dois minutos um pênalti foi assinalado para os visitantes e Felipe, após cobrar duas vezes a penalidade, abriu o placar, aos seis minutos. A vantagem ainda aumentaria, uma vez que a superioridade dentro de campo ainda era notável. Aos 30 minutos Iarley puxou belo contra-ataque e tocou na saída do arqueiro Vanderlei, que nada pôde fazer para evitar o segundo gol goiano. Para finalizar a partida ainda na primeira etapa, Felipe, mais uma vez, fez o terceiro tento do Esmeraldino, aos 30 minutos, após jogada ensaiada em cobrança de falta.iarley

O Coxa, por sua vez, pareceu não se dar por vencido mesmo com três gols de desvantagem no placar. Logo aos cinco minutos da etapa final o atacante Marcelinho Paraíba anotou aquele que seria o único gol dos paranaenses. A esperança só aumentou quando, aos 21 minutos, Rafael Toloi foi expulso e deixou os mandantes com mais jogadores em campo. A esperança, no entanto, de nada serviu e o Coritiba perdeu mais uma nesse Brasileirão, campeonato do qual é, mais do que nunca, lanterna.

Coritiba 1 x 3 Goiás

Coritiba: Vanderlei; Cleiton (Leandro Donizete), Felipe e Pereira; Márcio Gabriel, Jaílton, Pedro Ken (Ariel Nahuelpan), Carlinhos Paraíba e Vicente (Renatinho); Marcelinho e Bruno Batata. Técnico: René Simões

Goiás: Harlei; Ernando, Leandro Eusébio e Rafael Tolói; Fábio Bahia, Amaral (Everton), Ramalho, Felipe Menezes (João Paulo) e Júlio César; Felipe e Iarley (Zé Carlos); Técnico: Hélio dos Anjos

Gols: Marcelinho Paraíba, aos 5min do 2º tempo (Coritiba); Felipe, aos 6min e aos 38min, e Iarley, aos 30min do 1º tempo (Goiás)

Cartões amarelos: Carlinhos Paraíba, Márcio Gabriel, Ariel Nahuelpan, Leandro Donizete, Jaílton e Pereira (Coritiba); Amaral, Rafael Tolói, Felipe Menezes, Iarley, Fabio Bahia, Harlei e Ramalho (Goiás)

Cartões vermelhos: Rafael Tolói (Goiás)

Read Full Post »

O Santos recebe neste domingo, na Vila Belmiro, o Goiás em busca de sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro de 2009. Após empatar fora de casa contra o Grêmio na primeira rodada, o Peixe vai com força total para cima dos goianos. Já pelo lado esmeraldino a primeira vitória também é o objetivo, uma vez que o time do Centro-Oeste empatou seu primeiro duelo, em casa, com o Náutico, em jogo de seis gols. O destaque fica para o duelo entre os artilheiros: enquanto Kléber Pereira tenta recuperar a boa fase e o prestígio perdidos na final do Paulistão, o atacante Felipe é a esperança de gols do Goiás. O jogador do time goiano já tem dois gols no certame, enquanto o santista ainda não balançou as redes no Brasileiro.

Santos x Goiás

Local: Vila Belmiro, Santos (SP)

Horário: 18h30 (Brasília)

Santos: Fábio Costa; Luizinho, Fabão, Fabiano Eller e Pará; Roberto Brum, Rodrigo Souto, Paulo Henrique, Madson e Neymar; Kleber Pereira. Técnico: Vagner Mancini

Goiás: Harlei, Gomes, Rafael Toloi e Ernando; Fábio Bahia, Amaral,
Ramalho, Júlio César e Zé Carlos; Iarley e Felipe. Técnico: Hélio dos Anjos

Trio de arbitragem: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa – MG); Márcio Eustáquio Santiago (Fifa – MG) e Jair Albano Félix (MG)

Read Full Post »

Older Posts »