Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Guiñazú’

1) Tendo o dito melhor time do país

Essa aula vem direto do Rio Grande do Sul e é ministrada com primor no Brasileirão pelo professor Tite. Comandando o Internacional o treinador, conhecido por ser especialista em tirar times do buraco, está colocando o Colorado em uma roubada atrás da outra em pleno ano de centenário. Após ser campeão gaúcho em uma final que nem contou com o Grêmio e que terminou mais uma vez em goleada histórica, o clube dos Pampas foi simplesmente limpado do mapa na final da Copa do Brasil. O Inter se mostra medroso na maioria das vezes e o elenco, recheado de qualidades técnicas, não parece suportar a pressão do rótulo que a imprensa impôs. E o segundo semestre parece cada vez mais ir por água abaixo. Lutando pelo título brasileiro, os gaúchos estão desde o início do certame na corrida atrás de outro time. Não importando qual o adversário que está na frente, Tite sempre vê seus comandados fracassarem na busca pela ponta. Este final de semana ficou marcado pela derrota para o Vitória, que acabou com qualquer chance colorada de chegar ao primeiro lugar. As retrancas montadas pelo treinador parecem ser cada vez mais motivo de alegria para aqueles que disputam com o Inter. Mesmo com um elenco quase que galático – sim, no âmbito nacional Guiñazu, D’Alessandro, Taison e o agora ausente Nilmar são jogadores galáticos – o Internacional se vê cada vez mais sem poder de chegada. Deve perder um título que era dado como certo (mais um) e irá ter, no fim das contas, comemorado seu centenário só com um Estadual. Bela aula.

2) Achando que férias têm seis meses

A qualidade de Mano Menezes é indiscutível. Arrisco dizer que ele é hoje o melhor técnico do Brasil. Montou um time que saiu da série B para vencer de forma invicta o Paulistão e para abocanhar a Copa do Brasil, ambas as conquistas efetuadas com o clube jogando o melhor futebol até então no país. Mas os títulos parecem ter acabado com a gana corintiana. Claro, as perdas de André Santos, Cristian e Douglas foram muito sentidas. Algumas lesões também foram prejudiciais. Mas a derrota para o Goiás, no último fim de semana, por exemplo, foi prova concreta da falta de interesse do Alvinegro do Parque São Jorge no torneio. Atuando sem vontade alguma o Timão não se contagiou nem com os 30 mil torcedores que lotavam o Pacaembu e muito menos com as voltas tão esperadas de Alessandro e, principalmente, Ronaldo. A derrota para o Esmeraldino sepultou as já escassas chances de título. Agora sim, o Corinthians pode entrar de férias. Mas Mano e a diretoria erraram em deixar o clima de oba-oba tomar posse do elenco. E me perdoem se discordarem, mas esse foi sim o clima do Timão depois de conquistar o tri da Copa do Brasil.

3) Sendo cavalo paraguaio

PhD no assunto, quem dará a última parte da aula é Celso Roth. Se colocarmos no Google os termos de pesquisa “cavalo paraguaio”, sem sombras de dúvida iremos ver o buscador responder: “Você quis dizer: Celso Roth”.  O atual comandante do Atlético Mineiro ganhará neste ano um importante bicampeonato, o de treinador que mais nada, nada, nada e morre na praia. Não discordo daqueles que diziam desde o começo que o elenco do Galo era limitado. Sim, era. Para começar, confiar no Diego Tardelli já é começar mal. Mas os mineiros jogaram bem durante um turno todo. Chegaram lá como há tempos não chegavam. Não me recordo de nenhuma campanha tão entusiasmante dos atleticanos na Era Pontos Corridos. Mas assim como fez em 2008 com o Grêmio, Roth conseguiu perder o fio da meada e mais uma vez está comendo poeira. Assolado por Goiás, Grêmio e até pelo Barueri (!!!), o Atlético corre o risco de deixar o posto de possível campeão e terminar o Brasileirão apenas classificado para a Sul-Americana. Uma aula de mestrado de Roth. Mais uma vez.

Que fique a lição para São Paulo e Palmeiras… ninguém está imune à síndrome da amarelite paraguaia aguda. Ninguém.

Cutucadas

– Seu time tomar quatro gols já é deprimente. Com você falhando em três, talvez seja o caso de suicídio. Tomara que Diego, (péssimo) zagueiro/lateral-esquerdo do Corinthians, não ouça isso. Não quero que ele se mate

– O Fluminense carimbou mais do que nunca seu passaporte para a Segundona. E o Grêmio fez questão de dar logo cinco carimbadas no circo, digo clube das Laranjeiras

Defederico é o presente de natal da Fiel… e para 2018, pelo jeito.

– Continuo inconformado de a rodada só terminar na quarta-feira por exigência da TV. As durezas de ser brasileiro…

Anúncios

Read Full Post »

Glédson – Náutico

Sem destaque na grande mídia, o goleiro do Timbu vem realizando boas partidas recentemente. Na bela vitória diante do Atlético Paranaense, evitou buscar bolas em suas redes.

George Lucas – Santos

Contratado há pouco tempo pelo time da Baixada, o lateral fez bom jogo contra o Fluminense e ainda foi respondável pelos dois cruzamentos que originaram os gols de André e Paulo Henrique.

Cláudio Luiz – Náutico

Zagueirão que oscila momentos bons e ruins, mostrou segurança no embate contra o Atlético Paranaense.

Edmílson – Palmeiras

Apesar de começar a partida no meio de campo, acabou deslocado para a defesa após a saída de Maurício Ramos. Diante de sua ex-equipe, mostrou mais uma vez sua elegância com a bola nos pés e ainda marcou com precisão.

Kléber – Internacional

Após passar por um momento de fraco rendimento, o lateral-esquerdo parece estar reencontrando seu bom futebol. Na última partida, apoiou muito o ataque e ainda anotou seu gol, um golaço.

Leandro Guerreiro – Botafogo

O Fogão não vive um bom momento, mas poderia ser pior se não tivesse o volante no time. No 3 a 3 contra o Grêmio, mostrou sua costumeira raça e ainda fez um belo gol.

Guiñazú – Internacional

Um dos jogadores mais importantes do elenco Colorado, o argentino tomou conta do meio de campo, não deixando que o Goiás criasse jogadas de perigo. Além de matar o ataque adversário, subiu ao ataque e balançou as redes de Harlei.

Derley – Náutico

Mais uma vez na Seleção da Rodada, o meiocampista vem se destacando no Brasileirão e, contra o Furacão, mostrou novamente sua qualidade, inclusive fazendo um bonito gol.

Petkovic – Flamengo

Contratado com ressalvas, o sérvio não apresenta um bom preparo físico, mas ainda sabe o que faz com a bola. Na vitória diante do Santo André, foi o responsável por armar o rubro-negro e fez 80% da jogada no gol de Zé Roberto.

Roger – Vitória

O atacante não fez sucesso em Palmeiras e São Paulo, mas em equipes de menor expressão continua mostrando-se um matador. Incomodou a defesa cruzeirense e no final marcou um golaço, o de empate.

Marquinhos – Internacional

O Colorado continua provando que seu projeto de base dá resultados. Na goleada de 4 a 0 sobre o Goiás, mais um jovem talento parece ter surgido. Mostrando habilidade e personalidade, o atacante abriu o placar no Beira-Rio.

Técnico: Muricy Ramalho – Palmeiras

Apesar de alguns não concordarem, o 0 a 0 foi um excelente resultado no Morumbi. Há tempos o Palmeiras não se impunha como fez no campo tricolor. Por conhecer muito bem o adversário, o comandante alviverde não deixou que seu time fosse pressionado.

Craque da rodada:

kleber-inter

Kléber - Internacional

Read Full Post »