Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Kaká’

E agora, José

Somos pentacampeões, temos cinco copas,

Hoje falaremos do futebol lá da Europa

Já que essa semana tivemos um grande confronto

Que valia muito mais que os simples três pontos.

De um lado tava o Kaká, o “oito” da torcida,

Mas, no gol do Milan, tínhamos o Dida.

Que falhou aos dezenove ao soltar a bola ali,

Justo no pé do Raúl, que marcou para o Madrid.

Agora, o capitão, goleador máximo do Europeu

Incendiava as arquibancadas do Santiago Bernabeu!

O Real ia pra cima, atrás de mais um tento,

Que não saiu de jeito algum durante o primeiro tempo.

Na volta pra segunda etapa, virada à milanesa:

Uma bomba do meia Pirlo lhes dava uma certeza:

A de que o Casillas ia mal, e falharia novamente,

Dessa vez, aos vinte um, com o Pato pela frente.

E o camisa sete, em lançamento de Zambrotta,

Teve a calma e uma frieza típica “da velha bota”

Só empurrou pras redes e marcou o seu primeiro,

Em um duelo emocionante, quente e derradeiro!

Mas o Real estava vivo, vivo e consciente,

Tanto que, aos trinta e um, quem marcou foi o tal Drenthe.

Após cobrança de escanteio vinda do lado direito,

O holandês anotou o seu em chute seco e rasteiro.

O jogo esquentava, os times eram assíduos,

Até que o Real fez, mas Raúl estava impedido.

E o Milan respondeu, com Thiago, ex-Fluminense

Mas o gol foi anulado, erro grotesco e circense

O juiz viu uma falta em um lance típico, normal,

A confusão tava armada, um tremendo quebra pau.

Mão aqui, mão ali, uma arena de duelo…

Sobrou pra Raul e Nesta, que levaram o amarelo

Enfim, de volta ao jogo, jogadaça aos quarenta e três:

Lançamento de Seedorf, aquele mesmo, holandês.

Que encontrou na área um artilheiro nato,

Era a noite do menino, do Alexandre Pato!

De chapa, de primeira decretou o resultado:

Real dois, Milan três em um jogo disputado!

Anúncios

Read Full Post »

brasucas-ao-extremo3Mais sete dias se passaram e, como sempre, redes balançando em verde e amarelo não faltam. Desta vez, além dos grandes países e dos já costumeiros lugares alternativos, dois novos locais exóticos foram descobertos e deverão aparecer aqui com maior frequência, Tailândia e Moldávia. Mas não são nesses lugares que a viagem vai começar.

matuzalem-lazio-x-levski

Matuzalém comemora com companheiros da Lazio

A última semana já começou para a Brasucas com rodada cheia da nova Liga Europa e pelo segundo dia da Liga dos Campeões. Primeiro, a maior competição do Velho Continente, quando Kaká fez de pênalti nos 3 a 0 do Real Madrid sobre o Olympique de Marseille. Já na segunda competição em questão de importância, Matuzalém ajudou a Lazio a fazer a goleada de 4 a 0 em cima do Levski. Outra goleada foi a do Hamburgo sobre o Hapoel Tel Aviv, e, para variar, Zé Roberto deixou o seu. E ainda teve outro placar de quatro gols. O Shakthar enfrentou o Partizan e Jádson e Luiz Adriano fizeram os deles.

No duelo entre Werder Bremen e Athletic de Bilbao, o recém-convocado Naldo subiu ao ataque para marcar. E já que o assunto é futebol na Alemanha, Schumacher também balançou as redes. Mas esse foi o atacante revelado pelo Atlético Paranaense, que fez o gol do Austria Vienna no empate com o Nacional.

No Grupo A, o jovem Sammir, que iniciou carreira na Europa fez um do Dinamo Zagreb na vitória por 3 a 0 sobre o Timisoara. Enquanto no Grupo H, o bem conhecido Alex garantiu os três pontos para o Fenerbahçe, fora de casa, no embate diante do Sheriff.

Mas não é apenas na Europa que existe Liga dos Campeões, na Ásia também. E por lá, o Pohang Steelers passou por cima de Felipão e seu Bunyodkor. Nos 4 a 1, Denilson, que jogou por clubes como Feyenoord, Paris Saint-Germain e Atlas, fez metade dos gols dos mandantes.

De competições continentais, já foi o suficiente, agora o assunto são as ligas e copas nacionais. E para começar, a Escandinávia, onde, desta vez, quem marcou maior presença foi o futebol finlandês. Junto com o veterano Jari Litmanen, Rafael Pires ajudou o FC Lahti a fazer 4 a 0 no FC Jazz. Perto dali, Rafinha fez dois nos 3 a 1 do Tampere United sobre Haka Valkeakoski. Outro que comemorou duas vezes foi Álvaro Santos. Criado no América Mineiro, colaborou com os 4 a 2 do Orgryte em cima do Kalmar, pelo Sueco.

Um país que sempre aparece por aqui é o Chipre, e hoje não é diferente. Na quarta-feira, Gabriel Lima, que jogou no Fluminense entre 96 e 99 deixou o seu no massacre de 7 a 0 do AEP Paphos diante do Omonia Aradippou. No outro jogo do dia, Renato marcou para o Atromitos Yeroskipou, enquanto Joeano e Wender fizeram para o Ermis Aradippou no empate por 2 a 2. Já no sábado, o veterano Eduardo Marques, que teve passagem por Santos, Grêmio, Guarani, entre outros, contribuiu para o empate entre Aris e Enosis Paralimni.

diogo-olympiakos

Diogo, ex-Lusa, vibra com gol

Os próximos destinos são Grécia e Turquia. No primeiro, Dudu Cearense e Diogo saíram para o abraço nos 3 a 0 do Olympiakos de Zico diante do Levadiakos. Outro que comemorou foi o defensor Flávio, que atuou no Brasil por Fluminense, Santos e Figueirense, antes de chegar ao Aris Salonika e garantir o empate com o Panthrakikos Komotini. Já em solo turco, o craque Alex fez dois para o Fenerbahçe contra Gençlerbirligi e faz seu nome aparecer mais uma vez aqui. Porém, no dia anterior, o destaque ficou com o ex-santista Rodrigo Tabata, que fez o único do Besiktas na vitória sobre o Denizlispor.

welliton-spartal

Welliton abraça Alex após marcar

Hora de seguir ao leste-europeu, região que investe bastante em talentos tupiniquins. Na República Tcheca, Paulo Rodrigues bem que tentou, mas não conseguiu evitar a derrota do Pribram por 2 a 1 para o Brno. Na Hungria, o atacante André Alves, que saiu das categorias de base do São Paulo, ajudou o Videoton a derrotar o Kaposvar. Já na Ucrânia, o clube mais brasileiro da Ucrânia, o Shakhtar, contou com dois gols de Luiz Adriano mas apenas empatou com o Dnipro. No mesmo país, Jajá, que jogou pelo Flamengo em 2006, fez o da vitória do Metalist sobre o estranho Kryvbas Krivyi Rig. Já no país mais pobre da área, a Moldávia, Fred marcou para o Tiraspol contra o Academica. Para completar a região, a Rússia. Apenas um tento, do ex-esmeraldino Welliton, no êxito do Spartak de Moscou sobre o Amkar.

Um jogador desconhecido do público nacional é Marcos de Azevedo, porém, pelo jeito começará a ganhar maior fama, pois, mais uma vez, ele mostra sua cara por aqui, no empate por 2 a 2 entre Servette e Schaffhausen. Da Suíça para a Holanda, onde outro jogador vem ganhando destaque na Brasucas, o jovem Everton, que marcou para o Heracles na derrota por 3 a 1 para o Twente.

nene-monaco

Nenê é destaque do Monaco

Se na Suíça e na Holanda, dois desconhecidos da grande maioria fizeram a festa, na França e Inglaterra, a história foi diferente. Em solo francês, o Saint-Etienne bateu o Bordeaux por 3 a 1 e o atacante Ilan deixou o seu. Jussiê tentou pelo outro lado, mas em vão. Mas quem anda bem por lá é o ligeiro Nenê, que marcou mais um com a camisa do Monaco, desta vez diante do Olympique de Marseille. Na Terra da Rainha, Geovanni levou o pequeno Hull City a vitória por 2 a 1 sobre o Wigan.

A peneira pela Europa chega a Itália. E antes de chegar à elite, as divisões inferiores contaram com tentos brasucas. Com a camisa do Frosinone, Caetano Calil, ex-Ipatinga, Avaí e Atlético Paranaense deixou o seu na vitória sobre o Piacenza. Outro time que saiu com três pontos com a ajuda brasileira foi o Cittadella, e de Diego Oliveira, diante do Lecce. No dia seguinte, foi o atacante Paulinho, ex-Juventude, que fez a alegria de sua torcida, na difícil vitória do Sorrento sobre o Benevento. Já na Serie A italiana, Fabio Simplício derrubou junto com o Palermo a poderosa Juventus. Por último, ele, Ronaldinho Gaúcho, depois de muito tempo balançou as redes, um belo gol, no empate por 1 a 1 entre Atalanta e Milan.

A Península Ibérica é a bola da vez. Começando pela Espanha, onde o atacante Reinaldo contribuiu com o Huesca para o empate por 2 a 2 contra o Girona, pela segunda divisão. Na liga principal, o Sevilla derrotou os galáticos do Real Madrid com gol de Renato. Os merengues marcaram com o luso-brasileiro Pepe. Outro zagueiro que balançou as redes foi Nivaldo, ex-Náutico, Fortaleza e Coritiba, no 2 a 2 entre Valladolid e Athletic Bilbao. Na capital, o ex-corintiano Éwerthon deixou o seu de pênalti pelo Zaragoza, mas o Atlético de Madrid fez dois e saiu com os três pontos.

Se Portugal nos colonizou, hoje em dia é a gente que manda no futebol do país. Pela segunda divisão, o Santa Clara bateu o Varzim graças a dois gols de Rincón, veterano que defendeu as camisas do Treze e Santa Cruz. Antes de chegar à primeira divisão, destaque para mais um tento de Lulinha com a camisa do Estoril, desta vez na vitória por 2 a 0 sobre o Beira-Mar. Já pela elite, o Naval recebeu o Rio Ave e venceu por 3 a 2. Diego Ângelo anotou um para os mandantes, enquanto Wires e Sidnei tentaram para os visitantes. Placar igual aconteceu entre Leixões e União Leiria. Com gols de Léo e Carlão, cada um para um time. Na famosa Coimbra, o Academica foi derrotado por 4 a 2, e Marcinho, ex-São Caetano e Santos, foi responsável por um dos tentos do Marítimo.

Antes de seguir para as outros continentes, Zé Roberto deixou mais um com a camisa do Hamburgo. Desta vez na vitória por 3 a 1 sobre o Hertha e parece que vai levar o time ao título da Bundesliga.

No Oriente Médio, chuva apenas de gols brasileiros. No Qatar, Juninho Pernambucano e Marcinho levaram o Al-Gharrafa e o Qatar SC, respectivamente, às vitórias. Enquanto nos Emirados, Pedrão, ex-Barueri, e Renato, ex-Flamengo, marcaram nos 4 a 3 do Al-Shabab sobre o Al Wasl. Outro ex-flamenguista que está se saindo bem por lá é Emerson, que deixou mais, agora na goleada do Al-Ain sobre o Al-Ahli. Outro time que goleou foi o Al-Wahda e graças a quatro gols brasucas, Fernando Baiano e Pinga marcaram dois cada. Para fechar a região, Ricardo Oliveira comemorou no êxito do Al-Jazira sobre o Al-Dhafra.

Rumo ao leste, na Terra do Sol Nascente, França tentou, mas  seu Kashiwa Reysol saiu derrotado pelo Jubilo Iwata. Mesma situação de Éder, do Yokohama FC, no duelo contra o Thespa Kusatsu. Já Edmílson, Renatinho, Pedro Junior, Marcio Richardes e Fabio, comemoraram vitórias com as torcidas do Urawa Red Diamonds, Kawasaki Frontale, Gamba Osaka, Albirex Niigata e Tokushima Vortis, respectivamente.
Mas a maior descoberta da semana ficou por conta do futebol tailandês. Recheado da ginga verde e amarela, o TOT bateu o Nakhon Pathom com gol de Valci Júnior, enquanto o Chula United empatou com o Samut Sakhon graças ao tento de Aron da Silva.

itamar-tigres

Itamar comemora com a camisa do Tigres

Como a Austrália agora pertence futebolísticamente à Ásia, é o próximo destino. E, entre coalas e cangurus, o Melbourne Victory honrou seu nome e venceu o Brisbane Roar por 2 a 1. O atacante Ney Fabiano, que já jogou com a camisa de Internacional, São Paulo, Bahia, Cruzeiro e Juventus, fez o seu para os locais, enquanto Reinaldo descontou para os visitantes.

Para encerrar essa longa volta ao mundo, o continente americano. No forte futebol mexicano, Itamar, ex-Palmeiras e São Paulo, abriu o placar para o Tigres diante do Cruz Azul. Mais ao Sul, pelo campeonato equatoriano, Renato fez os dois do Espoli no empate com o Tecnico Universitario. Já pelo Boliviano, Charles da Silva se faz presente mais uma vez por aqui, desta vez na vitória por 2 a 1 do Bolívar sobre o rival The Strongest.

Não dá nem tempo de descansar, os próximos sete dias já começaram e as redes já estão balançando em verde e amarelo.

Read Full Post »

brasucas-ao-extremo3

A cada semana que passa, a viagem em busca de redes balançadas por brasileiros enfrenta maiores escalas. Como de costume, o ponto de partida é a Europa, e principalmente os países menos privilegiados da grande mídia. A região inicial será a Escandinávia, onde Wanderson vem marcando presença toda semana. O atacante marcou um de pênalti na vitória do GAIS sobre o Hammarby e dois diante do Orebro. Outro que anotou duas vezes em uma mesma partida foi Antônio Flávio, ex-Santo André, nos 2 a 0 do AIK em cima do Djurgarden. Ainda em solo sueco, o Jonkoping bateu o Landskrona por 4 a 2 e o meia Marcel Sacramento deixou o seu.

antonioflavio-aik

Antônio Flávio com a camisa do AIK

Perto dali, o futebol dinamarquês contribuiu bastante, ou melhor, os brasucas contribuíram para o futebol local. Fora da capital, uma das crias das categorias de base do Atlético Mineiro, Ailton fez o gol da virada do Copenhagen sobre o Helsingor. Outros que se deram bem fora de casa foram HB Koge e Viborg, que contaram com tentos de Roberto Saraiva e Alex da Silva, respectivamente, para somarem três pontos. Mas o grande destaque do país ficou por conta do massacre de 9 a 0 do Randers FC sobre o Vejen, José Júnior fez o dele.

Os fiordes não estão mais na paisagem, mas não muito distante, na Holanda, Wellington, atacante que passou por Inter, São Caetano, Náutico e está emprestado pelo Hoffenheim, comemorou duas vezes nos 8 a 0 do Twente no pequeno Joure. Três dias mais tarde, a equipe voltou a vencer, e desta vez com gol do jovem Douglas, ex-Joinville. Outro que saiu para o abraço duas vezes foi Leonardo, com carreira no país, no duro 3 a 2 do NAC Breda em cima do Willem II. Caso comum de jogador que sai direto da base para a Europa, Everton deixou o Barueri rumo ao Heracles e botou seu nome no placar no êxito de 2 a 0 diante do NEC. Outro exemplo é o de Paulo Henrique, mas este até chegou a jogar no profissional, deixou o Galo para defender o Heerenveen e marcou o seu sobre o Sparta Rotterdam.

Os “brownies mágicos” ficaram para trás e a neutralidade da Suíça toma conta. Na quarta-feira, Marcos de Azevedo colaborou com o 2 a 2 entre Servette e Wohlen. Já no sábado, o meia voltou às redes, mas não evitou a derrota de seu time por 3 a 2 para o Locarno. Com a camisa do Lugano FC, Silvio Carlos, ex-Santos, fez dois dos sete gols da sua equipe sobre o Gossau. No país vizinho, a Áustria, o ex-pontepretano Fabiano também chegou ao gol duas vezes, ajudando a construir o 5 a 0 do Wacker Tirol sobre o Dornbirn.

carloseduardo-hoffenheim

Carlos Eduardo imita comemoração famosa de Totti

Antiga aliada austríaca, a Alemanha sempre proporciona seu momento por aqui. Pela Copa do país, jogada na quarta-feira, o recém-convocado Naldo, o ex-palmeirense Caio, e o naturalizado alemão Cacau, fizeram as alegrias das torcidas de Werder Bremen, Frankfurt e Stuttgart. Já no domingo, pela famosa Bundesliga, Raffael fez para o Hertha Berlim, mas Carlos Eduardo, além de outros quatro gols, deram os três pontos para o Hoffenheim.

Se Áustria e Alemanha foram aliadas em tempos de guerra, uma grande rival era a União Soviética, e nessa região, brasileiros brilharam nos últimos sete dias. Na atual Bielo-rússia, Jefferson fez o único na vitória do Dinamo Minsk em cima do Granit. Na Estônia, o meia Felipe Nunes anotou o seu, mas o Nomme Kalju foi derrotado pelo FC Levadia. Mas foi na Ucrânia que o sucesso foi absoluto. O Shakhtar atropelou o Obolon por 4 a 0 e, Jadson, William e Ilsinho balançaram as redes.

Outro país que sofreu desfragmentação foi a Iugoslávia. Um dos que conseguiram a independência foi a Eslovênia, e por lá, Marco Tavares, que jogou pelo Furacão, fez dois na vitória por 3 a 2 do Maribor contra o Nova Gorica. Ainda na região de grandes conturbações históricas, mas na Sérvia, Cléo, outro que defendeu o rubro-negro de Curitiba, marcou de pênalti para o Partizan Belgrado, no sábado.

Como o tema entrou para rivalidades políticas, Turquia e Chipre são os próximos destinos. Na pequena ilha, Roma, que atuou por CSA e Sport deixou o seu nos 2 a 0 do Doxa Katokopia sobre o Nisou. Já no continente, Rizespor e Altay ficaram no 1 a 1 pela segunda divisão. Nascimento Ribeiro abriu para os locais e Tiago Bezerra, ex-Gama, igualou. Na elite do país, o ex-corintiano Marcus Vinícius deu, no finalzinho, os três pontos para o Istanbul Buyuksehir em cima do Sivasspor, enquanto Júlio César tentou mas não conseguiu evitar a derrota do Gaziantepspor para o Ankaraguçu.

Antes de entrar na rota dos poderosos do Velho Continente, vale a pena passar na Grécia. Por lá, o zagueiro Douglão, que começou no Inter e estava no rebaixado Nantes, deu a vitória ao Kavala sobre o Iraklis. Já nos 4 a 0 do Ergotelis sobre o Panthrakikos, os veteranos Junior Silva e Beto, que fizeram carreira fora, tiveram grande importância.

lucio-internazionale

Lúcio com a camisa nerazzurri

Na “Terra da Bota”, o atacante Nenê marcou para o Cagliari, na quarta-feira, no êxito sobre o Bari. No mesmo dia, o capitão da Seleção Lúcio deixou o seu no 3 a 1 da Internazionale em cima do Napoli. Já no domingo, a Juventus tentou mais três pontos, mas Adaílton, ex-Juventude e Guarani, não deixou e a partida com o Bologna ficou no empate. Mas quem conseguiu vitória foi o Cagliari, que contou com tento de Jeda para passar pelo Parma.

Partindo da Península Itálica para a Ibérica, o ex-botafoguense Juca marcou duas vezes nos últimos sete dias. Garantiu os resultados positivos do Deportivo sobre Xerez e Villarreal. Na capital, Cléber Santana empatou para o Atlético de Madrid contra o Almería, enquanto Kaká fechou o placar vitorioso do Real Madrid diante do Villarreal, fora de casa. O camisa 8 merengue voltou às redes no sábado, quando sua equipe passou pelo Tenerife por 3 a 0. Outra equipe que está com a bola toda é o Sevilla, que marcou oito gols nas últimas duas partidas, diante de Athletic Bilbao e Rangers, contando com a colaboração de Renato, Adriano e Luís Fabiano.

Em Portugal, Adílson e Alan, vibraram com as torcidas do Feirense e do Sporting Braga, respectivamente. Em Lisboa, o zagueiro David Luiz e o meia Ramires participaram do placar de 5 a 0 do Benfica sobre o Leixões. Completando a rodada lusitana, Vitória Guimarães e União Leiria ficaram no 2 a 2, com gols de Roberto para os donos da casa e Carlão e Vinícius para os visitantes.

wendel-bordeaux

Wendel é destaque no Bordeaux

Para fechar o continente europeu, Wendel, ex-Santos e Cruzeiro, foi para a galera no 1 a 0 do Bordeaux em cima do Rennes e garantiu a liderança de seu time na Ligue 1. Já na Premiership, o Hull tomou de 6 a 1 do Liverpool, mas Geovanni foi o responsável pelo gol de honra. O time do ex-cruzeirense também foi batido na quarta-feira, e o atacanteajudou a deixar o placar em 4 a 0 para o Everton.

Um lugar infestado de brasileiros jogando bola que foi um pouco esquecido nas últimas semanas foi a Ásia, mas desta vez receberá a devida atenção. Pela Liga dos Campeões do continente, Magno Alves marcou dois para o Umm Salal sobre o FC Seoul, enquanto Juninho, ex-Palmeiras, garantiu a vitória do Kawasaki Frontale sobre o Nagoya Grampus.

O país do Oriente Médio que concentra mais tupiniquins são os Emirados Árabes Unidos, e foi por lá que o ex-flamenguista Émerson ganhou grande destaque logo em seus primeiros dias na terra dos petrodólares. Em sua estreia, marcou dois e ajudou o Al Ain a sagrar-se campeão da Copa dos Emirados. Na segunda partida, diante do Al Nasr, fez outro. Quem também conseguiu balançar as redes duas vezes foi Fernando Baiano, nos 3 a 1 do Al Wahda sobre o Ahli. Pinga, ex-Torino e Internacional, completou a vitória dos visitantes.

emerson-valdivia-alain

Emerson comemora com Valdivia na estreia pelo Al Ain

Ainda no maior pólo verde-amarelo em terras desérticas, Marcelinho fez para o Sharjah no duelo com o Emirate, enquanto o artilheiro Pedrão, ex-Barueri, fez para o Al Shabab contra o Jazira. Em ambas as partidas, os gols não evitaram as derrotas.

No Bahrein, a antiga promessa Rico, ex-São Paulo e Grêmio, deixou sua marca na vitória do Al Muharraq. Já no Qatar, o desconhecido Leandro da Silva fez para o Al Sadd no empate de 1 a 1 com o Al Kharitiyat.

Para terminar de vez a viagem pelo globo em busca de talentos brasucas perdidos, a terra do sol nascente. Na quarta-feira, Marcelo Soares e Roberto ajudaram os visitantes Vegalta Sendai e Sagan Tosu, saírem de campo com um empate e uma vitória, respectivamente.

No final de semana, o habilidoso Michael, ex-Guaratinguetá e Coritiba, tentou, mas não evitou a derrota do JEF United para o Yamagata. Mesma situação de Marquinhos, na surpreendente goleada de 4 a 1 sofrida pelo Kashima Antlers para o Nagoya Grampus. Outro grande time japonês derrotado em casa foi o Urawa Red Diamonds, que contou com gol de Edmílson, antiga dupla de Vágner Love no Palmeiras, no fracasso diante do Yokohama Marinos.

A cada semana que passa, o número de gols cresce, e fica mais provado que, tratando-se de futebol, brasileiro faz sucesso em qualquer canto.

Read Full Post »

Inglaterra, Itália, França, Alemanha, a bola já está rolando pelas ligas dos principais países europeus, porém, os torcedores da Espanha ainda não têm seu campeonato nacional na ativa. Mas essa espera está perto de acabar, pois no próximo dia 29, Real Madrid e Deportivo La Coruña entram em campo para abrir a disputa do troféu mais importante da nação.

messi-lio-barcelona

Messi tentará levar o Barça a mais um título nacional

Depois de alguns anos com a Premier League ganhando maior destaque internacionalmente, essa temporada tem tudo para colocar La Liga de volta ao primeiro posto de campeonato mais atrativo do mundo, principalmente por contar com times do calibre de Barcelona e Real Madrid, normalmente já fortes, concentrando as maiores estrelas do futebol mundial.

Os catalães mantiveram sua base que levou o clube ao Triplete na última temporada, com a saída significativa apenas de Samuel Eto’o, que acabou sendo substituído por nada mais nada menos que Zlatan Ibrahimovic, craque da Internazionale de Milão que agora atuará ao lado de jogadores como Xavi, Iniesta, Henry e o provável melhor do mundo Lionel Messi.

kaka-realmadrid

Kaká terá a chance de voltar a ser o Melhor do Mundo

Para tentar tirar o título da Catalunha, o Real Madrid aparece como maior candidato, e não é a toa, a equipe conta com mais uma vez a presidência de Florentino Pérez, que gastou mais de 250 milhões de euros para montar um novo elenco galático. Depois de levar atletas como Beckham, Zidane, Figo e Ronaldo a Madrid em outros tempos, desta vez o presidente merengue escolheu Cristiano Ronaldo, Kaká, Benzema e Xabi Alonso para serem os líderes do time na tentativa de colocar o clube no topo do mundo.

Apesar de parecer uma disputa bipolar, outras equipes podem pintar para incomodar os gigantes da Espanha. Candidatos a “intrusos”, podem ser destacados Sevilla, Valência, Atlético de Madrid e Villarreal.

O clube de Sevilha agora não conta com o rival Bétis, rebaixado da elite, como adversário, e tem como maior trunfo a manutenção de Luís Fabiano, além do reforço de Negredo, destaque do Almería na última temporada espanhola.

forlan-aguero-atletico

Forlán e Agüero formam o poderoso ataque do Atlético

Mesmo atravessando uma crise financeira, o Valência conseguiu manter seus principais jogadores, como David Villa e David Silva, que foram especulados em diversas equipes européias durante a janela de transferências.

Na sombra do rival da capital, o Atlético mais uma vez aparece como possível destaque. Também na disputa da Liga dos Campeões, os torcedores alvirrubros depositam suas esperanças em sulamericanos como Máxi Rodríguez, Diego Forlán e Kun Agüero.

nilmar-villarreal

Nilmar chegou ao Villarreal com status de estrela

Sediado em uma cidade de apenas cinquenta mil habitantes, o Villarreal ganhou corpo nas últimas temporadas, inclusive chegando às semifinais da Liga dos Campeões da Europa recentemente. Sem o técnico Manuel Pellegrini, que seguiu ao Real Madrid, o Submarino Amarelo deverá lutar pela ponta da tabela com a ajuda dos brasileiros Marcos Senna e Nilmar, além do jovem Giuseppe Rossi e do experiente Robert Pirés.

Além dos seis já citados, quem poderá surpreender neste ano é o Espanyol. Após escapar milagrosamente do rebaixamento, a equipe catalã segue apostando no salvador Maurício Pochettino, que agora contará com o japonês Nakamura entre seus comandados. Porém, os jogadores terão que superar a morte do capitão Daniel Jarque.

nakamura-espanyol

Nakamura é o principal nome do Espanyol para a temporada

Depois de passar pelos concorrentes às primeiras colocações da tabela, a fuga do rebaixamento deverá ser bravamente disputada por clubes como Almería, Mallorca, Osasuna, Sporting Gijón, Valladolid e os recém-promovidos Tenerife e Xerez.

A análise está feira e todos já estão a postos para a largada do Campeonato Espanhol, que promete ser um dos melhores dos últimos tempos e o mais prestigiado da Terra. Será que o Barça conseguirá manter seu troféu? ¡Vamonos a La Liga!

Read Full Post »

Os grupos da Liga dos Campeões foram sorteados nesta tarde de quinta-feira, na bela Mônaco.

No grupo A, o cabeça-de-chave Bayern de Munique terá a companhia da Juventus, além do campeão francês Bordeaux e do israelense Maccabi Haifa. A Vecchia Signora tem todas as possibilidades de classificar-se em primeiro, seguida pelo Bayern que parece mais sério agora sob o comando de Loius Van Gaal.

Leonardo

Leonardo terá que quebrar a cabeça para classificar o Milan

Em seguida vem o grupo do tricampeão inglês. CSKA Moscou, Besiktas e o campeão alemão Wolfsburg jogarão com o Manchester United na primeira fase. Sir Alex Ferguson não deve ter dificuldades para classificar sua equipe, e a segunda vaga terá uma boa briga entre o time de Grafite e o de Zico.

A expectativa antes do sorteio era em qual grupo o Real Madrid cairia. Pelas más atuações nas ultimas Champions Leagues os madrilenos foram rebaixados ao segundo pote. O afortunado acabou sendo o Milan, do grupo C. Dessa forma, logo nos primeiros jogos pela competição européia, Kaká reencontrará seu ex-time, no qual obteve grande sucesso. O camisa 8, inclusive, tem todas as condições de bater a equipe de Leonardo nos dois duelos, pois esta, comandada pelo decadente Ronaldinho, promete uma temporada ruim. Os outros dois integrantes do grupo são Olympique de Marselha do novo contratado Lucho Gonzáles, e o coitado campeão suíço, o Zurique.

Carlo Ancelotti

Apostando na experiência de Carlo Ancelotti, o Chelsea não deve ter muitas dificuldades para passar de fase

O grupo D também promete uma grande disputa pela segunda vaga. A primeira deve ser do Chelsea, sob o comando do bicampeão da Liga, Carlo Ancelloti. Pela segunda, Porto e Atlético de Madrid farão bons duelos. O APOEL, do Chipre, deve fazer apenas figuração.

O Liverpool não terá vida fácil para classificar-se. Enfrenta o sempre chato Lyon e a Fiorentina, entretanto, Rafa Benitez deve conseguir a primeira colocação do grupo E. O Debrecen, primeiro time húngaro na fase de grupos desde a temporada 95/96, é o coitado da vez.

 

Barcelona e Inter de Milão prometem os melhores jogos dessa etapa da competição. Ambos foram sorteados no grupo F e devem classificar-se com muita facilidade. Esse duelo também terá reencontros. Eto’o joga contra sua ex-equipe, assim como Ibrahimovic, tetracampeão pelo time de Milão, agora no lado catalão. Rubin Kazan e Dínamo de Kiev brigam para chegar à Liga Europa.

Eto

Eto'o e Ibrahimovic trocaram de time, e agora enfrentam suas ex-equipes já na fase de grupo

O Grupo G é o mais equilibrado, porém por baixo. O Sevilla, recém-elevado ao primeiro pote do sorteio, recebeu a companhia de Rangers, Stuttgart e do romeno Urinea. Briga boa entre os três primeiros pelas duas vagas.

Quem se deve classificar facilmente é o Arsenal. De mais complicado em seu grupo H apenas o AZ Alkmaar, campeão holandês. Os outros dois são o Olympiakos e o Standard Liége.

Messi

Lionel Messi, artilheiro, melhor atacante e jogador da Liga dos Campeões 2008/09

O que também agitou a festa em Mônaco foi a premiação aos melhores jogadores da Liga dos Campeões passada.

Van der Sar, do vice-campeão Manchester United foi escolhido o melhor goleiro. John Terry, o melhor zagueiro. A nomeação do capitão do Chelsea é curiosa, pois os blues não chegaram nem à final. Os outros três prêmios ficaram com atletas do campeão Barcelona: Xavi foi o melhor meio-campista e Lionel Messi o melhor atacante e melhor jogador da Champions League 2008/09.

Confira os grupos e os premiados:

Grupo A: Bayern de Munique (ALE), Juventus (ITA), Bordeaux (FRA) e Maccabi Haifa (ISR)

Grupo B: Manchester United (ING), CSKA Moscou (RUS), Besiktas (TUR) e Wolfsburg (ALE)

Grupo C: Milan (ITA), Real Madrid (ESP), Olympique de Marselha (FRA) e Zurique (SUI)

Grupo D: Chelsea (ING), Porto (POR), Atlético de Madrid (ESP) e APOEL Nircosia (CHI)

Grupo E: Liverpool (ING), Lyon (FRA), Fiorentina (ITA) e Debrecen (HUN)

Grupo F: Barcelona (ESP), Inter de Milão (ITA), Dinamo de Kiev (UCR) e Rubin Kazan (RUS)

Grupo G: Sevilla (ESP), Rangers (ESC), Stuttgart (ALE) e Unirea (ROM)

Grupo H: Arsenal (ING), AZ Alkmaar (HOL), Olympiacos (GRE) e Standard de Liége (BEL)

Premiados:

Melhor goleiro: Van der Sar (Manchester United)

Melhor zagueiro: John Terry (Chelsea)

Melhor meio-campista: Xavi (Barcelona)

Melhor atacante: Messi (Barcelona)

Melhor jogador: Messi (Barcelona)

Read Full Post »

ole-brasilcampeaoApós muitas críticas por parte da população brasileira, principalmente sobre o técnico Dunga, o capitão do título mundial de 1994 calou a boca de quem o perseguia e levou o Brasil ao troféu da Copa das Confederações, depois de vitória emocionante sobre os Estados Unidos.

Apesar da partida ter começado com melhor futebol brasileiro, os norte-americanos aproveitaram-se de falhas da nossa defesa para balançar as redes de Júlio César por duas vezes, com Dempsey e Landon Donovan.

Porém, quando se trata da Seleção Brasileira, nunca se deve duvidar de uma vitória. E foi isso que o time canarinho fez na segunda etapa. Com dois gols do artilheiro Luís Fabiano e um do capitão Lúcio, os comandados de Dunga chegaram a virada e ao terceiro título da Copa das Confederações, renovando a conquista de quatro anos atrás, na Alemanha.

Sendo o esporte mais popular do mundo, a notícia de mais um campeonato para o currículo tupiniquim foi escrita nas mais diferentes línguas. Na Espanha, principal favorita no início da competição, a imprensa ficou dividida entre destacar a bela virada e Kaká, novo reforço do Real Madrid.

Mas o melhor ficou aqui nos nossos vizinhos. Jornal conhecido por tratar o futebol com pitadas humorísticas e as vezes sarcásticas, como quando chamaram os brasileiros de “macaquitos”, o Olé da Argentina se rendeu ao futebol do Brasil, destacando em sua página inicial a frase “O mais grandes”, reconhecendo que “Brasil é Brasil”.

A vitória foi conquistada, o mundo voltou a olhar nossa Seleção com o merecido respeito, agora resta Kaká e companhia seguirem no ritmo para colocarem a amarelinha novamente no topo absoluto, pois ano que vem é o que realmente importa, é ano de Copa do Mundo.

Read Full Post »

Neste domingo o tricampeonato mundial do Brasil, conquistado em 1970, no México, completou 39 anos. Na ocasião o time de Pelé, Rivelino, Tostão e cia. goleou a Itália, despachando o adversário europeu de volta para Roma e se consagrando como o maior campeão mundial de então. E foi neste domingo também que os italianos voltaram para casa novamente após serem massacrados pela Seleção Brasileira. É claro que a Copa das Confederações não tem o mesmo valor de uma Copa do Mundo, mas golear a Itália é sempre bom. Sem dar chances ao adversário o Brasil jogou bem demais, calou mais uma vez os críticos e fez um sonoro 3×0 nos atuais campeões mundiais, classificando-se em primeiro no grupo e de quebra ajudando os Estados Unidos a conseguirem uma inusitada classificação.

Fabuloso voltou a ser decisivo e fez dois dos três gols do Brasil

O Jogo

O primeiro tempo brasileiro foi simplesmente avassalador. Nã há outra palavra para definir o modo de jogar da Seleção nos primeiros 45 minutos. Sufocando a Itália desde os primeiro movimentos da bola, o Brasil conseguiu jogar fácil, com toque de bola rápido e envolvente. Kaká, Luís Fabiano e cia. não tiveram quaisquer dificuldades em matar o duro jogo italiano.

A melhor postura em campo, no entanto, não refletia em gols para o Brasil, que aos 23 minutos da etapa inicias sofreu baque importantíssimo com a saída do zagueiro Juan, lesionado. Ainda cadenciando o jogo e vendo o adversário chegar à sua meta com chutes de longa distância, a Seleção finalmente conseguiu abrir o placar aos 37 minutos. O lateral Maicon carregou a bola, chutou de longe e viu sua tentativa desviar na zaga adversária e sobrar limpa para Luís Fabiano. O Fabuloso, artilheiro que é, não desperdiçou: Brasil 1 x 0 Itália.

Ramires, Robinho, Kaká e Luis Fabiano comemoram gol

O gol sofrido atordou os italianos, que viram a defesa, seu melhor setor historicamente, ruir em menos de dez minutos. Aos 43 minutos a estrela do Fabuloso voltou a brilhar. Kaká e Robinho faziam boa tabela e no momento no qual o meia enfiou a bola na área para o atacante a mesma acabou sobrando limpa para Luis Fabiano, que teve apenas o trabalho de empurrar para dentro, acabando com quaisquer chances de reação dos europeus.

O golpe de misericórdia ainda aconteceria na primeira etapa. Aos 45 minutos Kaká lancçou Robinho pela esquerda. Abusando da velocidade o atacante do Manchester City viu Ramires sozinho dentro da área e cruzou para o volante, contratação recente do Benfica. A bola, no entanto, desviou nos pés de Dossena e entrou nas redes antes de chegar no brasileiro. A diferença de três gols e o futebol jogado pelo Brasil tornavam o jogo decidido.

Na volta para o segundo tempo, após o intervalo, o que se viu foi um Brasil tranquilo, tocando bola de um lado para o outro, sem pressa. Combalida, a Itália ainda se aproveitou da falta de vontade brasileira para chegar algumas vezes com chances de diminuir, sempre sendo parada por Júlio Cesar e sua ótima fase. A partida não sofreu mais alterações e os italianos estão vergonhosamente eliminados da Copa das Confederações. O que podemos fazer? Desejar boa viagem!

Brasil 3 x0 Itália

Brasil: Júlio César, Maicon, Lúcio, Juan (Luisão) e André Santos; Gilberto Silva (Kleberson), Felipe Melo, Ramires (Josué) e Kaká; Robinho e Luís Fabiano. Técnico: Dunga.

Itália: Buffon; Zambrotta, Cannavaro, Chiellini e Dossena; De Rossi, Montolivo (Pepe) e Pirlo; Camoranesi, Iaquinta (Rossi) e Toni (Gilardino). Técnico: Marcello Lippi.

Gols: Luis Fabiano, aos 37 e 43, e Dossena (gol contra) aos 45 minutos do primeiro tempo.

Cartões amarelos: Chiellini e Dossena (Itália)

Árbitro: Benito Archundía (MEX)

Local: Loftus Versfeld (Pretória/África do Sul)

Read Full Post »

Older Posts »