Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Mano Menezes’

Corinthians

Depois do empate contra o clássico contra o São Paulo no último domingo, o Timão teve uma semana tranquila se preparando para enfrentar o Atlético-PR no sábado. Dentinho renovou seu contrato até 2013. Ronaldo ficou de segunda até quarta feira em Madrid resolvendo problemas pessoais, mas enfrenta o Furacão depois de treinar nos dois últimos dias da semana. Edno deve estreiar no meio de campo, enquanto Defederico ficará como opção no banco de reservas, por ser muito fraco fisicamente, segundo o técnico Mano Menezes..

Barueri

A Abelha foi derrotada pelo Cruzeiro na última rodada, quando teve a volta de sua grande estrela, o meia atacante Fernandinho, que foi desejado por muitos times grandes, mas acabou ficando no Barueri. Fernandinho acabou expulso e desfalca a equipe no confronto com o Atlétic-MG. O atacante Branquinho foi regularizado na CBF, apareceu no BID e pode ser utilizado a partir da próxima rodada pelo técnico Diego Cerri.

Fluminense

O time carioca voltou a vencer no Brasileirão, ao bater o Avaí por 3 a 2 no Maracanã. Com a vitória, os torcedores mais otimistas já veem força para o time sair da zona de rebaixamento, mas a verdade é que a situação do Flu é muito complicada. O time enfrentou na quinta feira o Alianza Atlético, no Maracanã e sai com a vitória, o que pode ser mais uma motivação para o time de Cuca buscar um bom resultado no clássico contra o Flamengo neste final de semana.

Sport

Assim como o Tricolor carioca, o Sport venceu em casa na última rodada, mas ainda vive situação complicada no Brasileirão. O time tem 23 pontos e está a 3 do Náutico, primeiro time fora da Zona de Rebaixamento. Isso pode parecer tranquilo, mas o time pernambucano vai enfrentar o Grêmio no Olímpico, onde o time gaúcho é praticamente invencível. Luciano Henrique deve completar 100 jogos pelo Leão neste domingo. Péricles Chamusca foi absolvido pelo STJD e ficará no banco para comandar seu time.

Anúncios

Read Full Post »

Final de mês, falta de dinheiro, aperto para sair com aquela garota mais bonitinha. Garota bonitinha? Não, sobrou para você só aquele trabuco. Mesmo assim, não dá para negar o pedido. A falta de dinheiro não mudou nada, a menina só ficou pior, o lugar para sair vai ser aquele botequinho fedido da esquina. Nada pode piorar, sua situação é irreversível. Você já está preparado para virar a piada dos amigos, virar o São Jorge, domador de dragões. E ainda por cima leva a baranga para um lugarzinho que nem a feiúra dela merece. Enfim, está na pior. Mas como nada é só azar, você está caminhando na rua e acha uma nota de… míseros dez reais. Não, não é motivo para se orgulhar. É só um alívio rápido para a situação desesperadora.

A situação acima pode parecer totalmente desconexa com o futebol, mas é a metáfora para ilustrar a situação do Fluminense após o final de semana. A vitória sobre o Avaí, no Maracanã, foi suada e acabou com uma incomoda sequência sem triunfos no Brasileirão. Sequência essa que deixou o Tricolor das Laranjeiras na pior situação possível. Uma crise sem precedentes assolou o time comandado hora por Renato Gaúcho, hora por Cuca – a verdade é que tem sido um time sem comando. O rebaixamento para a Série B é quase certo. Mas o Fluzão teima em agir como o garoto que achou os dez reais no chão.

Com um time totalmente desligado, sem brilho algum, o Flu é tido como um dos quatro rebaixados da atual edição do Brasileiro há algumas boas rodadas. Um clube que se armou com Fred, Conca, Leandro Amaral e Luiz Alberto não conseguiu sequer lutar pela vaga na Sul-Americana. Mas comemora uma vitória mais do que suada dentro de casa. Os três pontos não mudarão nada na situação geral, que continua desesperadora. Mas na Laranjeira ainda há esperança. Afinal, vencer o Avaí em casa não é obrigação. É superação, não é mesmo? Não.

Na outra ponta…

Já na outra ponta da tabela, aquela dos líderes, a situação vai afunilando e um time vem se destacando em situação oposta à do Flu. É o Palmeiras. Dirigido por Muricy Ramalho, vem sendo um cala boca impressionante para os torcedores do São Paulo. Acostumados a afirmar que o técnico é mestre de morre-morre, devem estar com saudades dele. Muricy caminha a passos largos para seu tetra. Torce, apenas, para que não haja salto alto que o faça cair.

Cutucadas

André Dias ganhou o prêmio de melhor assistência do Brasileiro. Pena que foi para o adversário Ronaldo abrir o placar para o Corinthians no Majestoso

– Ainda no clássico paulista: gol impedido, gol mal anulado e Mano Menezes em guerra com a diretoria tricolor. Quero ver qual punição receberá o árbitro por sua péssima atuação

– Se o Olímpico fechar para reformas, o Grêmio morre de fome. O time é medroso e só perde fora de casa, é impressionante

Read Full Post »

1) Tendo o dito melhor time do país

Essa aula vem direto do Rio Grande do Sul e é ministrada com primor no Brasileirão pelo professor Tite. Comandando o Internacional o treinador, conhecido por ser especialista em tirar times do buraco, está colocando o Colorado em uma roubada atrás da outra em pleno ano de centenário. Após ser campeão gaúcho em uma final que nem contou com o Grêmio e que terminou mais uma vez em goleada histórica, o clube dos Pampas foi simplesmente limpado do mapa na final da Copa do Brasil. O Inter se mostra medroso na maioria das vezes e o elenco, recheado de qualidades técnicas, não parece suportar a pressão do rótulo que a imprensa impôs. E o segundo semestre parece cada vez mais ir por água abaixo. Lutando pelo título brasileiro, os gaúchos estão desde o início do certame na corrida atrás de outro time. Não importando qual o adversário que está na frente, Tite sempre vê seus comandados fracassarem na busca pela ponta. Este final de semana ficou marcado pela derrota para o Vitória, que acabou com qualquer chance colorada de chegar ao primeiro lugar. As retrancas montadas pelo treinador parecem ser cada vez mais motivo de alegria para aqueles que disputam com o Inter. Mesmo com um elenco quase que galático – sim, no âmbito nacional Guiñazu, D’Alessandro, Taison e o agora ausente Nilmar são jogadores galáticos – o Internacional se vê cada vez mais sem poder de chegada. Deve perder um título que era dado como certo (mais um) e irá ter, no fim das contas, comemorado seu centenário só com um Estadual. Bela aula.

2) Achando que férias têm seis meses

A qualidade de Mano Menezes é indiscutível. Arrisco dizer que ele é hoje o melhor técnico do Brasil. Montou um time que saiu da série B para vencer de forma invicta o Paulistão e para abocanhar a Copa do Brasil, ambas as conquistas efetuadas com o clube jogando o melhor futebol até então no país. Mas os títulos parecem ter acabado com a gana corintiana. Claro, as perdas de André Santos, Cristian e Douglas foram muito sentidas. Algumas lesões também foram prejudiciais. Mas a derrota para o Goiás, no último fim de semana, por exemplo, foi prova concreta da falta de interesse do Alvinegro do Parque São Jorge no torneio. Atuando sem vontade alguma o Timão não se contagiou nem com os 30 mil torcedores que lotavam o Pacaembu e muito menos com as voltas tão esperadas de Alessandro e, principalmente, Ronaldo. A derrota para o Esmeraldino sepultou as já escassas chances de título. Agora sim, o Corinthians pode entrar de férias. Mas Mano e a diretoria erraram em deixar o clima de oba-oba tomar posse do elenco. E me perdoem se discordarem, mas esse foi sim o clima do Timão depois de conquistar o tri da Copa do Brasil.

3) Sendo cavalo paraguaio

PhD no assunto, quem dará a última parte da aula é Celso Roth. Se colocarmos no Google os termos de pesquisa “cavalo paraguaio”, sem sombras de dúvida iremos ver o buscador responder: “Você quis dizer: Celso Roth”.  O atual comandante do Atlético Mineiro ganhará neste ano um importante bicampeonato, o de treinador que mais nada, nada, nada e morre na praia. Não discordo daqueles que diziam desde o começo que o elenco do Galo era limitado. Sim, era. Para começar, confiar no Diego Tardelli já é começar mal. Mas os mineiros jogaram bem durante um turno todo. Chegaram lá como há tempos não chegavam. Não me recordo de nenhuma campanha tão entusiasmante dos atleticanos na Era Pontos Corridos. Mas assim como fez em 2008 com o Grêmio, Roth conseguiu perder o fio da meada e mais uma vez está comendo poeira. Assolado por Goiás, Grêmio e até pelo Barueri (!!!), o Atlético corre o risco de deixar o posto de possível campeão e terminar o Brasileirão apenas classificado para a Sul-Americana. Uma aula de mestrado de Roth. Mais uma vez.

Que fique a lição para São Paulo e Palmeiras… ninguém está imune à síndrome da amarelite paraguaia aguda. Ninguém.

Cutucadas

– Seu time tomar quatro gols já é deprimente. Com você falhando em três, talvez seja o caso de suicídio. Tomara que Diego, (péssimo) zagueiro/lateral-esquerdo do Corinthians, não ouça isso. Não quero que ele se mate

– O Fluminense carimbou mais do que nunca seu passaporte para a Segundona. E o Grêmio fez questão de dar logo cinco carimbadas no circo, digo clube das Laranjeiras

Defederico é o presente de natal da Fiel… e para 2018, pelo jeito.

– Continuo inconformado de a rodada só terminar na quarta-feira por exigência da TV. As durezas de ser brasileiro…

Read Full Post »

Para recuperar-se de cinco jogos sem vitória, tendo marcado apenas um gol neles, de pênalti, o Corinthians terá que bater o Atlético-MG, amanhã, as 16h, no Pacaembu.

Os desfalques o torcedor sabe de cor. Ainda machucados, Ronaldo, Alessandro, Marcelo Oliveira e Morais não poderão jogar. Além deles, Balbuena e Paulo André, recém-contratados, ainda não estão regularizados.

Com tantos problemas para (re)montar seu time, Mano Menezes deve inovar e mandar o timão a campo no 3-5-2. Chicão e Willian terão a companhia de Diego, que pode, eventualmente, fazer a lateral esquerda. Na ala-canhota, Jorge Henrique será testado.

A função não é novidade para ele. No Botafogo, o jogador projetava-se quase como um ponta quando seu time tinha a posse de bola. Na retomada do adversário, Jorge recompunha o meio-campo com a velocidade e dedicação que já é conhecida do torcedor corintiano.

No outro lado do relvado, outra improvisação: Jucilei será deslocado do meio-campo para a ala-direita. Boquita entra na equipe para ajudar Edu e Elias na armação. Mais a frente, Henrique tem oportunidade como titular no lugar de Bill.

O time de Celso Roth não fica atrás nos desfalques. Oito jogadores não têm condições de jogo. Entre eles Welton Felipe, Serginho e Jonilson suspensos. Além de Aranha, Márcio Araujo e Evandro machucados. Wellington Saci e Carlos Alberto são impedidos de atuar por uma cláusula em seus contratos, já que possuem vinculo com o Corinthians.

Pelo menos o galo mineiro terá a volta de Diego Tardelli, retomando a dupla de ataque com Éder Luis. Na zaga Alex Bruno ganha chance como titular, assim como Tchô no meio-campo.

O Corinthians padece muito com a falta de criatividade ofensiva. Andre Santos era uma válvula de escape importantíssima pela esquerda, enquanto Douglas organizava a equipe. Mesmo quando a bola não chegava com qualidade, Ronaldo consertava. Perdendo esses três jogadores, além da chegada surpresa de Cristian, o técnico corintiano testa diversas possibilidades para arrumar a equipe. Enquanto isso não acontece, o alvinegro paulista vai distanciando-se da briga pelo título.

Já o Galo depende apenas de suas forças para ser campeão do primeiro turno. Se vencer o time de Parque São Jorge amanhã, e o Internacional em jogo atrasado, fica um ponto a frente do Palmeiras, e dois adiante do colorado, caso esse vença o Santos.

Corinthians x Atlético-MG

Local: Pacaembu, São Paulo (SP)

Horário: 16h00 (Brasília)

Arbitragem: Leandro Pedro Vuaden, auxiliado por Marcelo Bertanha Barison e Paulo Ricardo Silva Conceição, todos do RS

Corinthians: Felipe; Chicão, Willian, Diego; Jucilei, Edu, Elias, Boquita e Jorge Henrique; Dentinho e Henrique. Técnico: Mano Menezes.

Atlético-MG: Bruno; Werley, Alex Bruno e Marcos; Marcos Rocha, Renan, Tchô, Junior e Thiago Feltri; Diego Tardelli e Éder Luis. Técnico: Celso Roth

Read Full Post »

adriano-flaxcorO tão esperado duelo entre Flamengo e Corinthians aconteceu na tarde deste domingo no Maracanã, o maior de todos, palco ideal para reunir as duas maiores torcidas do país. Campeões no primeiro semestre – ambos venceram seus estaduais e o Timão ainda embolsou a Copa do Brasil – os dois times ficaram longe de proporcionar o espetáculo prometido. A expectativa do duelo entre o Imperador Adriano e o Fenômeno Ronaldo sequer aconteceu, com o segundo se recuperando de lesão na mão.

Desfalcado, o Corinthians não foi presa fácil. As ausências de Alessandro, Jorge Henrique e Ronaldo foram muito sentidas. Assim como a imaturidade do promissor ala Bruno Bertucci. O Flamengo, também em situação incômoda nas últimas rodadas, não poderia não vencer em casa. A partida começou movimentada, mas sem chances de gol. Destaque para a atuação segura do árbitro, que conduziu a partida marcando poucas faltas, mas sem o papo de deixar de marcar as existentes. Foi destaque positivo a presença de Evandro Rogério Roman.

A ausência de Ronaldo e a presença de Adriano foram, enfim, determinantes. Após primeiro tempo morno e retorno do intervalo melhor dos cariocas, o Imperador achou uma sobra de bola e, com seu jeito característico, sepultou o Timão no maior e mais sagrado palco do futebol.  A jogada ainda contou com o ala Bertucci, do Timão, dando condições ao atacante adversário de modo totalmente infantil. O nervosismo dos paulistas era evidente. A derrota, também.

Flamengo 1 x 0 Corinthians

Por que deu Flamengo?

O Maraca e o péssimo momento do adversário foram determinantes, assim como os desfalques do mesmo. O Fla soube se impôr em casa e parece começar a fazer as pazes com a torcida. O Timão mostra que não é mais a máquina do primeiro semestre e clama urgentemente por reforços.

O que o jogo mudou no campeonato?

Nada. Nem um dos dois times parece ter reais condições hoje de disputar o título. Para o Timão, ficar em segundo ou 13º não muda nada uma vez que a vaga na Libertadores já está garantida. Para o Fla, a vitória significa alento, mas não deixará, ainda, os adversários atentos.

Read Full Post »

gremio-x-corEliminado recentemente da Copa Libertadores da América, o Grêmio entrou em campo neste domingo e contou com o apoio de sua torcida para passar por cima do Corinthians pelo Campeonato Brasileiro. 3 a 0 com direito a “olé” ainda no primeiro tempo.

Se de um lado, o técnico Mano Menezes não contava com William e Chicão, seus zagueiros titulares, Paulo Autuori estava com seu ataque desfalcado. Com a bola rolando, foram os atacantes reservas que se deram bem. Aos quinze minutos, Fábio Santos, ex-São Paulo, foi até a linha de fundo e cruzou para o ex-palmeirense Alex Mineiro desviar para as redes.

gre-cro1Não demorou e Felipe teve que buscar a bola mais uma vez nos seus barbantes. Aos 22 minutos, foi a vez de Adílson avançar pela ala esquerda e cruzar, só que desta vez quem apareceu foi Jonas, que testou para ampliar a vantagem gaúcha na partida.

Se a situação já estava ruim para os alvinegros, ficou ainda pior aos trinta minutos, quando Jean perdeu a cabeça e falou o que não devia para o árbitro. Cartão vermelho para o zagueiro do Timão.

Com um jogador a mais em campo, o Grêmio seguiu pressionando, e chegou ao terceiro gol aos 38 minutos. Após bate-rebate, a bola caiu com Souza, que caprichou e achou Rafael Marques livre dentro da grande área, que acertou peixinho e provocou nova avalanche no Olímpico.

A segunda etapa começou sem mudanças táticas, e o placar também não se alterou durante sos 45 minutos restantes. Felipe praticou duas belas defesas saindo nos pés de seus adversários. Victor também não ficou atrás, e se esticou todo para defender chute de Dentinho.

Com a vitória por 3 a 0 sobre os atuais campeões da Copa do Brasil, o Grêmio chegou aos quinze pontos e agora ocupa a sexta colocação na tabela. Já o Corinthians soma sua quarta derrota e cai para a oitava posição no Brasileirão.

GRÊMIO 3 X 0 CORINTHIANS

Grêmio: Victor; Thiego, Léo, Rafael Marques e Fábio Santos; Túlio (Makelele), Adílson, Tcheco e Souza (Maylson); Jonas (Perea) e Alex Mineiro
Técnico: Paulo Autuori

Corinthians: Felipe, Alessandro (Diogo), Jean, Diego e André Santos; Cristian, Elias (Jucilei) e Douglas; Jorge Henrique (Renato), Dentinho e Ronaldo. Técnico: Mano Menezes

Data: 12/7/2009 (domingo)
Local: Estádio Olímpico, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Auxiliares: Pedro Jorge de Araújo (AL) e Carlos Jorge da Rocha (PR)
Cartões amarelos: Thiego, Tcheco, Rafael Marques, Léo, Perea, Souza (Grêmio); Ronaldo, Jean, Douglas, Alessandro, Dentinho (Corinthians)
Cartão vermelho: Jean (Corinthians)
Gols: Alex Mineiro, aos 16; Jonas, aos 22min; Rafael Marques, aos 39min do primeiro tempo.

Read Full Post »

Desde que o futebol é futebol, há partidas de quarta-feira e domingo, terça e sábado, quinta e domingo… Quase sempre há partidas no meio de semana e depois no fim de semana. Apesar de acontecer isto desde sempre, cada vez mais os técnicos poupam seus titulares de uma partida para estarem inteiros na outra. Quando fazem isso, os treinadores estão assinando um termo de que uma competição é mais valiosa do que a outra. Mas até quando isso é verdade e até quando isto vale a pena?

Começando por ontem, primeira rodada do Brasileirão. O Corinthians jogou em casa, no Pacaembu, contra o Internacional de Porto Alegre. Tudo para ser uma partida épica, com grandes jogadores dos dois lados, muitas chances de gols. Afinal, estamos falando de duas equipes que só haviam perdido uma partida cada na temporada e que tem dois dos melhores elencos do país. Porém, o que se viu foi o contrário. O time paulista entrou em campo com um monte de desconhecidos, os reservas. Nove dos onze em campo são considerados reservas, alguns nem no banco costumam ficar. Dos dois titulares, um só jogou pois seu reserva imediato estava gripado e o outro rescindiu o contrato. Na partida, 1 a 0 para o Inter, um golaço de Nilmar. O placar não foi dos piores, mas o Corinthians perdeu três pontos dentro de casa contra um adversário direto na briga pelo título. Claro que ainda faltam 37 rodadas, mas estes três pontos podem fazer falta no final. O motivo para poupar? Partida na quarta-feira pela Copa do Brasil, contra o Fluminense. Uma competição importantíssima, sem dúvidas. Mas quem garante a vitória corintiana? Se perder contra o Flu, terá valido a pena?

Outro cenário: Santos passa pelo Palmeiras e enfrentará o mesmo Corinthians na final do Campeonato Paulista de 2009. No meio de semana, uma partida que parece simples, contra o CSA de Alagoas, na Vila Belmiro, jogo válido pela Copa do Brasil. O Peixe só precisa de uma vitória simples para se classificar para a fase seguinte da competição. Qual a escolha de Vagner Mancini? Poupar alguns titulares contra o pequeno CSA. Resultado: Santos 0 x 1 CSA. Mas tudo bem, ainda há a possibilidade de vencer o Corinthians na mesma Vila Belmiro, no fim de semana. Chega o fatídico domingo, show de Ronaldo Fenômeno e vitória do Coringão por 3 a 1 e o alvinegro praiano praticamente dá adeus ao Paulistão.

Mais um: O São Paulo, já classificado na Copa Libertadores, terá três partidas importantes: Corinthians, Independiente Medellín e Corinthians novamente. Muricy Ramalho, após perder a primeira partida contra o Timão, decide poupar os titulares da viagem e partida contra o Independiente. Perde a partida na Colômbia e depois, de volta a São Paulo, no Morumbi, perde também para o Corinthians. Tudo bem, pois o Tricolor se classificou em primeiro do grupo de qualquer maneira e ainda pode acabar passando automaticamente pelas oitavas de final, mas por um problema político, que ainda vai dar muito o que falar. Mas, e se o Tricolor tivesse se classificado como segundo melhor primeiro colocado? Teria vantagem de decidir em casa contra quase todas as equipes, menos contra o Grêmio. O que é melhor, perder o Paulistão (como perdeu), ou decidir um possível confronto contra o Boca Juniors no Morumbi ao invés de em ‘La Bombonera’? Só veremos o resultado mais pra frente, mas esta ‘poupada’ pode custar caro ao Tricolor.

Quero deixar claro, também, que não há como saber se as equipes titulares venceriam as partidas em que foram poupados, mas não há como negar que dariam mais trabalho aos adversários. Afinal, os titulares são, teoricamente, melhores técnica, tática ou físicamente, mas, na visão dos treinadores, são melhores jogadores e fazem melhor ao time do que os reservas.

No decorrer do ano e das competições, teremos ainda mais respostas da pergunta que não quer calar: vale a pena poupar?

Read Full Post »