Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Paulo Henrique’

E agora, José

O futebol é uma arte, mas poucos são artistas,

Hoje farei uma homenagem aos meus amigos paulistas!

Boleiros fervorosos dos mais diversos mantos,

De Corinthians, Palmeiras, São Paulo e de Santos.

A primeira vai pr’um parça que às vezes é um sono

Ele escreve aqui no “Opina”, meu brother Marcel Buono!

Sempre alviverde, amante da camisa nove,

Do artilheiro do amor, do matador Vágner Love!

Pra quem ele sempre torce: “que gols nunca erre!”

Já que no meio-campo o Palmeiras conta com o Pierre.

O time de Muricy Ramalho é o líder do Campeonato,

Mas anda vacilando e isso é um fato

Perdeu para o Timbú por três tentos a zero

Porém, o Marcel acredita: “Campeões, eu espero!”

Agora o Verdão tem o Flamengo em casa,

Tomara que não aconteça o que houve contra o ASA

Já os alvinegros só falam em Ronaldo,

Que mesmo gorducho ainda dá um caldo

Batata, biscotinho, Cicarelli e pão de mel…

Não importa o que ele coma ele é adorado na Fiel!

Passagens pela Europa o tornaram “pouco rico”

Agora, no Corinthians, temos o Defederico.

Menino argentino, brigador não vai à lona

Só tem um defeito: é adepto do Maradona!

Leandro Sarhan, Léo Sacco, e Chavedar

São “loucos por ti” – “não pára de lutar”!

E o que direi, então, do hexa-brasileiro?

Pro Adriel, meu grande brother, um baita de um parceiro:

Nos três últimos anos o tricolor foi até tri!

Mas, na nossa Copa, não teremos o Morumbi (brincadeirinha)

A equipe anda bem, servindo à seleção

André Dias e Miranda já foram chamados pelo “patrão”

Sempre bem montando, sempre com bons nomes,

Esse é o time do ex-zagueiro Ricardo Gomes!

Pra finalizar vem o Peixe e suas meninas

Que, ao contrário dos marmanjos, fortalecem as minhas rimas!

Mostrando para o mundo que sabem usar os pés,

Trouxeram até a Marta pra usar a camisa 10

Já homens não vão bem, como isso pode?

Essas rimas meio aquáticas vão pro parceiro God

Mas, não fica triste, vocês tem um tal de “Ganso”

Que, diferente do Neymar, não dá uma de “manso”

Joga muito esse menino, tem classe e é de primeira!

Pena, que na frente, quem tá é o Kléber Pereira!

E assim vai terminando essa singela homenagem

Aos 4 de São Paulo que não estão de sacanagem

Já que lá no Rio o amadorismo é o que impera,

Escrevo essas linhas pr’um futebol que é mesmo fera

Anúncios

Read Full Post »

São Paulo

Faz 4 anos que o tricolor não vence o Santo André. De 2005 para cá foram quatro partidas, com dois empates e duas vitórias do time da grande São Paulo, e três desses jogos foram no Morumbi. Para mudar esse mau retrospecto, Ricardo Gomes deve escalar o time quase titular. Hernanes segue machucado e, além dele, o treinador, com medo de perder dois dos zagueiros titulares para o clássico contra o Corinthians, deve poupar Renato Silva ou Miranda. Provavelmente, o ex-botafoguense deve descansar.

Santo André

Rodrigo Fabri e Cris estão machucados. Pelo menos, Sérgio Soares terá a volta da dupla de zaga titular, Marcel e Cesinha, suspensa na última partida. O Ramalhão conta com Marcelinho Carioca, que já fez 12 gols contra o São Paulo, sendo 9 deles em Rogério Ceni.

Santos

O mercado de transferências esteve agitado na Vila Belmiro. Sérgio, ex-goleiro do Palmeiras, foi apresentado. O peixe também contratou Gil, atacante do Vila Nova, que chega por empréstimo até o final do ano que vem. Domingos, afastado por Luxemburgo, quase assinou com o Fortaleza, mas jogador e time não chegaram a um acordo. Outro que está fora dos planos do treinador, Roberto Brum, pelo menos conseguiu um clube. Assinou com o Figueirense, por empréstimo, até o final do ano. Para a partida contra o Botafogo, apenas George Lucas, suspenso, e Paulo Henrique, na seleção sub-20, são desfalques.

Goiás

O time esmeraldino jogou pela Copa Sul-Americana esta semana. Empatou com o Atlético-MG novamente por 1×1, e a classificação foi decidida nos pênaltis. Nas cobranças, 6×5 para o time de Hélio dos Anjos. Para tentar vencer o Corinthians, domingo, no Pacaembu, Amaral e Felipe, ambos suspensos pelo terceiro cartão amarelo, não jogam. Além disso, Rafael Tolói e Douglas continuam com a seleção sub-20.

Read Full Post »

Para quebrar o tabu de nunca ter vencido o Santos na Vila Belmiro na história dos Campeonatos Brasileiros – foram 9 jogos com 9 derrotas do colorado – o Internacional conta com o time quase completo.

A única dúvida do técnico Tite é na lateral direita. Com Danilo Silva suspenso, Bolívar deve voltar a desempenhar a função que fez no primeiro semestre. Dessa forma, Danny Morais fará dupla de zagueiros com Sorondo.

Já no lado alvinegro da peleja, Vanderlei Luxemburgo mudará o esquema tático. Quando chegou à Vila, para consertar o sistema defensivo que parecia um queijo suíço, o técnico promoveu Germano a titular, formando, assim, o meio-campo com três volantes.

Entretanto, a equipe não vem tendo boas apresentações em seus domínios, e o treinador, com toda razão, acha imprescindível que isso mude para o peixe chegar à Libertadores. Por isso, Robson deve começar jogando no lugar de Germano, fazendo a dupla de armadores com Paulo Henrique.

Essa partida também vale para definir o campeão do primeiro turno, pois, caso o colorado não vença o Santos, não poderá mais alcançar o Palmeiras nos jogos disputados na primeira metade do Campeonato. Se quebrar o tabu e vencer, ainda precisa pontuar contra o Atlético-MG, em outra partida atrasada, para conquistar o título simbólico.

Santos x Internacional, hoje à noite, às 2150h na Vila Belmiro, Santos (SP) 

Santos: Felipe; George Lucas, Fabão, Eli Sabiá e Léo; Rodrigo Souto, Rodrigo Mancha, Robson e Paulo Henrique; Madson e Kleber Pereira. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Internacional: Lauro; Bolivar, Danny Morais, Sorondo e Kléber; Sandro, Guiñazu, Andrezinho e Giuliano; Taison e Alecssandro. Técnico: Tite

Arbitragem: Luiz Antônio Silva dos Santos, auxiliado por Wagner de Almeida Santos e Marco Aurelio dos Santos Pessanha, todos do RJ

Read Full Post »

cruzeiro e santosUm desavisado que vê um jogo terminado em 0x0 logo acha que foi uma partida ruim. O empate entre Cruzeiro e Santos, entretanto, foge dessa regra completamente. Os dois times buscaram o gol durante os 90 minutos e o placar não foi mexido apenas por causa da grande atuação dos dois goleiros.

O time visitante foi a Belo Horizonte com o intuito de marcar a raposa e, se possível, arrancar um gol no contra-ataque. O primeiro objetivo foi muito bem executado pela linha de zaga santista e por seus volantes. Todos fechavam a entrada da área e o time celeste, mau organizado por Gilberto, somente ciscava de um lado para o outro.

Quando retomava a bola, Paulo Henrique lançava, com muita qualidade, Madson e Kléber Pereira. O segundo, porém, cansou de perder gols e canelar a bola quando precisava dominar. Além da boa partida de Fábio, a má fase do artilheiro alvinegro também contribuiu para a falta de gols do time de Luxemburgo.

Com a frente da grande área congestionada, restava aos comandados de Adilson Batista o arremate de longe e as laterais. Tanto uma jogada, quanto a outra foram muito bem anuladas por Felipe, com grandes defesas e saídas providenciais de sua meta.

Por que terminou empatado?

Os dois goleiros foram verdadeiros paredões na partida de hoje. O Santos fechou a entrada da área e dificultou a armação de jogadas cruzeirenses, que saiam dos pés de Gilberto. O ex-lateral da seleção brasileira não teve boa atuação como camisa 10 da equipe. Além disso, Fabão soube anular o Kléber cruzeirense. Já o Kléber santista, anulou-se sozinho.

O que esse resultado muda no campeonato?

O Santos consegue um bom resultado fora de casa e, se vencer seu jogo atrasado, chega perto da zona de classificação à Libertadores. Já o Cruzeiro continua na zona da pasmaceira e segue sem conseguir vencer duas partidas consecutivas.

Cruzeiro 0 x 0 Santos

Local: Mineirão, Belo Horizonte (MG)

Público: 16.939 pagantes

Cruzeiro: Fábio; Jonathan, Leonardo Silva, Thiago Heleno e Diego Renan (Gil); Fabinho (Dudu), Fabrício, Marquinhos Paraná e Gilberto (Soares); Kléber e Wellington Paulista. Técnico: Adilson Batista

Santos: Felipe; George Lucas (Triguinho), Fabão, Eli Sabiá e Pará; Rodrigo Mancha, Rodrigo Souto, Germano (Robson) e Paulo Henrique; Madson (Neymar) e Kléber Pereira. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Cartões amarelos: Leonardo Silva e Marquinhos Paraná (CRU); George Lucas, Pará, Rodrigo Mancha, Fabão e Triguinho (SAN)

Arbitragem: Marcelo de Lima Henrique (RJ), auxiliado por Wagner de Almeida Santos (RJ) e Jackson Lourenço Massarra dos Santos (BA)

Read Full Post »

Ao término da quarta rodada do Campeonato Brasileiro, o Opina Fute volta a escalar a sua seleção com os melhores jogadores do final de semana. Mas nada de 4-4-2, 3-5-2, desta vez, a formação tática escolhida foi o 3-4-3, já que é sempre difícil escolher laterais que tenham se destacado no futebol brasileiro. Confira os escalados:

Ricardo Berna – Fluminense

Substituindo o titular Fernando Henrique, o goleiro não decepcionou a torcida do Fluminense, fazendo belíssimas defesas na partida deste domingo diante do Náutico. Só não foi uma muralha pois Gilmar balançou suas redes, em lance indefensável.

Danny Morais – Internacional

Mesmo jogando com uma equipe mista, o Colorado bateu o Avaí, e muito desta vitória se deve a atuação do jovem zagueiro da equipe, que comandou o setor defensivo com uma marcação exemplar, apenas uma falta cometida e diversos desarmes.

Fabão – Santos

Contestado por muitos, o zagueirão fez valer sua presença física neste domingo, não perdendo nenhuma dividida contra os atacantes do rival Corinthians.

Miranda – São Paulo

Tido como um jogador a nível de Seleção Brasileira, o zagueiro teve atuação muito melhor do que a da última quarta-feira, quando enfrentou o mesmo Cruzeiro. Desta vez, nenhum cruzeirense conseguiu furar o bloqueio tricolor.

Leandro Domingues – Vitória

O meiocampista rubro-negro comandou o setor da equipe baiana, e ainda por cima marcou um belíssimo gol, em chute de longa distância, o único na vitória do time sobre o forte Grêmio.

Paulo Henrique – Santos

O jovem atleta da Vila Belmiro mostrou mais uma vez muita classe e habilidade, e ainda balançou as redes corintianas duas vezes. O jogador anda enchendo os torcedores santistas de esperanças por um novo craque.

Marlos – São Paulo

Mesmo realizando sua primeira partida com a camisa do hexa-campeão brasileiro, o garoto vindo do Coritiba não se intimidou, partiu para cima dos cruzeirenses, esbanjou técnica e ainda fez a jogada do segundo gol da partida.

Mádson – Santos

Que o baixinho é rápido e habilidoso todo mundo sabe, o problema é pará-lo, e foi exatamente isso que a defesa do Corinthians não conseguiu fazer neste domingo. Mais uma vez o ex-vascaíno infernizou seus adversários. No final ainda marcou o gol que sacramentou a vitória do Santos.

Pedrão – Barueri

Sem nenhum marketing em sua volta, o atacante do Barueri não se incomoda e segue tratando de balançar as redes adversárias. Diante do Palmeiras, o camisa 9 marcou dois sobre Marcos. O primeiro foi esquisito, chutando ainda sentado.

Felipe – Goiás

Jogador que não tem o nome muito ventilado na mídia mas que já vem mostrando bom futebol desde os tempos de Náutico. Mesmo jogando no Couto Pereira, fez mais dois gols com a camisa do Goiás e já é o artilheiro do Brasileirão, com quatro.

Carlinhos Bala – Náutico

O rápido atacante atormentou a defesa do Fluminense no Estádio dos Aflitos. Principal jogador de sua equipe, só não anotou seu gol pois o goleiro Ricardo Berna estava em tarde inspirada e Maicon salvou cabeçada em cima da linha.

Técnico: Ney Franco – Botafogo

Apesar do empate em pleno Engenhão por 2 a 2 contra o Sport Recife, o comandante do Fogão soube utilizar seu banco de reservas, principalmente pelas entradas de Léo Silva e Tony, e buscar o empate, uma vez que os pernambucanos abriram dois gols de vantagem em apenas vinte minutos.

Craque da rodada

Paulo Henrique

ph-ganso

Read Full Post »

Desde sexta feira, o técnico Mano Menezes já tinha anunciado que quem entraria em campo seria o time reserva do Corinthians, já que os titulares seriam poupados para a partida da próxima quarta feira, contra o Vasco.

ph-gansoPorém, isso pouco importou para o Santos, já que a partida é válida pelo Brasileirão e os três pontos em disputa valem o mesmo ao final da competição.

Desde o início do jogo, era visível a falta de entrosamento do time corintiano e a vontade de vingar as finais do Paulistão dos santistas. Tanto que, desde o primeiro minuto de jogo, quem dominava a partida era o time da Vila Belmiro. O Corinthians ficou acuado e só assustava nos contra ataques, principalmente com o meia Morais, que era o único com bom ritmo de jogo. Logo aos 16, depois de tentar algumas vezes, o Santos abriu o placar. Luizinho subiu bem pela direita e cruzou na medida para Paulo Henrique, o Ganso, bater de pé esquerdo abrir o placar para o Peixe, em bola que quase não ultrapassa a linha.

Com o 1 a 0, o Timão caiu mais ainda de produção e o Santos não teve dificuldades para ampliar. Depois de uma bola perdida pelo perdido Lulinha, Madson armou contra ataque para o time praiano. Kléber Pereira bateu forte e Júlio César espalmou. No rebote, de novo Ganso empurrou para as redes. A facilidade santista para jogar era visível.

No segundo tempo, essa facilidade diminuiu e muito. Depois de uma bronca de Mano Menezes no vestiário, o time do Pq. São Jorge acordou e voltou melhor. Tanto que, logo aos 5 minutos de jogo, o jovem zagueiro Renato diminuiu a vantagem do Santos. Depois de cobrança de escanteio, Morais bateu firme e Fábio Costa rebateu. Muito esperto, o camisa 13 do Corinthians conseguiu balançar a rede do Peixe: 2 a 1.

O Corinthians passou a ter mais presença ofensiva e teve algumas boas chances, principalmente em jogadas que envolviam os dois jogadores que mais atuaram na temporada, Souza e Morais. Os dois fizeram algumas boas tabelas e por pouco o empate não saiu. Quando o empate parecia mais próximo,o árbitro e Lulinha aprontaram. O meia fez uma falta dura em Léo e nem cartão levou. No lance seguinte, o lateral do Santos partia para o ataque quando foi derrubado por Lulinha. O árbitro levantou o cartão vermelho sem ao menos dar amarelo antes.

Com um a menos, as chances do Corinthians sumiram no jogo. O Peixe tentava, mas parava em Júlio César. Até que, já aos 44 minutos, Germano bateu cruzado e Madson, livre dentro da pequena área, marcou o terceiro.

O Santos foi a 8 pontos e está na 3ª colocação, enquanto o Corinthians, nas semifinais da Copa do Brasil, tem 4 e é o 14º.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 3 X 1 CORINTHIANS

Estádio: Vila Belmiro, Santos (SP)
Data/hora: 31/05/2009 – 16h (de Brasília)
Árbitro: Leandro P. Vuaden (Fifa-RS)
Auxiliares: Nilsond de Souza Monção (SP) e Carlos Augusto Junior (SP)
Renda/público: R$ 245.040,00 / 10.666 pagantes
Cartões amarelos: Fabiano Eller (SAN); Renato, Jean, Boquita e Souza (COR)
Cartões vermelhos: Lulinha, 20’/ 2ºT (COR)
GOLS: Paulo Henrique, 16’/1ºT (1-0), Paulo Henrique 29’/1ºT (2-0); Renato 4’/2ºT (1-2); Madson 44’/2ºT (3-1)

SANTOS: Fábio Costa; Luizinho (Pará 21’/2ºT), Fabão, Fabiano Eller e Léo (Germano 43’/ 2ºT); Roberto Brum, Rodrigo Souto, Molina (Neymar 21’/2ºT), Paulo Henrique, Madson; Kléber Pereira. Técnico Vagner Mancini.

CORINTHIANS: Júlio César, Diogo, Renato, Jean e Wellington Saci (Bruno Bertucci 32’/2ºT); Jucilei (Marcinho INT), Moradei (Jadson 39’/2ºT), Boquita e Lulinha; Morais e Souza. Técnico: Mano Menezes

Read Full Post »